Depois de oito apresentações em Lisboa, a companhia de teatro Cepa Torta leva agora o espectáculo “Estudos sobre o desejo – Tomo I – O Barão” a outros pontos do país, com duas apresentações já marcadas: nos dias 21 e 22 de Setembro, a peça sobe ao palco no Passos Manuel, no Porto, e nos dias 12 e 13 de Outubro estará em cena no SILOS Contentor Criativo, nas Caldas da Rainha.

Em “Estudos sobre o desejo – Tomo I – O Barão”, cinco performers juntam-se em palco para contar ao espectador a história de O Barão, um conto do escritor português Branquinho da Fonseca. O conjunto de espectáculos de “Estudos sobre o desejo” abordam, segundo o encenador Miguel Maia, “um conceito que é fulcral na criação artística — o do desejo enquanto força motriz de qualquer acto consciente ou inconsciente de criação”.

Neste primeiro Tomo, o conto de Branquinho da Fonseca que é levado ao palco, publicado pela primeira vez em 1942, tem como pano de fundo uma remota aldeia portuguesa. A história, narrada na primeira pessoa por um inspector da escola primária em visita de trabalho à aldeia, relata o seu encontro com o Barão, habitante de personalidade excêntrica. A este texto, que serve como base, juntam-se o ensaio As Portas da Percepção, de Aldous Huxley, e alguns excertos de textos de Georges Bataille, cruzando-os com histórias pessoais.

Segundo o encenador, o espectáculo é encarado como um estudo, “que fazemos recorrendo aos performers, às memórias dos seus corpos, às propostas das suas mentes quando sujeitas ao acto de mostrar”. O trabalho de O Barão está, de acordo com Miguel Maia, intimamente ligado tanto ao seu percurso pessoal como profissional, uma vez que se baseia num conceito que vê como pouco explorado e que lhe parece central na criação artística: “o desejo enquanto objecto que queima e que faz mover todos os pensadores e artistas que admiro”.

A interpretação e co-criação está ao cargo de Inês Garrido, Isac Graça, Rita Marques e Telmo Mendes, com direcção de produção de Leonor Buescu, e tem a duração de 1h40.

Texto de Francisco Cambim
Fotografia de Sónia Godinho

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.