fbpx

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Cortei o meu cabelo para me libertar das amarras da sociedade

Nas Gargantas Soltas de hoje, Mafalda Fernandes, nos fala como cortar o cabelo é para ela um momento de libertação, de uma sensação inexplicável que alcança uma liberdade há muito desejada.

Opinião de Mafalda Fernandes

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Não é que já não o tenha feito antes, e é por isso mesmo que tinha esse desejo adormecido de cortar o cabelo, ouvir o som da máquina, e ver as pequenas mechas fofinhas e escuras a caírem no chão. 

Cortar o cabelo para mim é um momento de libertação, de uma sensação inexplicável que alcança uma liberdade há muito desejada. 

Nós, mulheres negras, somos sempre vistas como sendo muito masculinas. Especialmente sendo as características de feminilidade sempre associadas à imagem da mulher branca. Mesmo mulheres negras que se esforçam diariamente para mostrarem a sua feminilidade são capturadas pelo sexismo e pelo racismo doentio que circulam os nossos corpos e por consequência os nossos cabelos. 

Sendo eu uma amante da minha própria masculinidade, cortar o cabelo para mim é algo tão natural como respirar. 

Torna-se verdadeiramente bonito quando o corto e me relembro a mim mesma daquilo que é a minha essência esquecendo a pressão constante que recai sobre todos os corpos negros. 

É um corte direto com os guiões estruturados que foram criados a pensar no homem branco e que se opõe à mulher negra. 

É um corte direto com aquilo que gostariam que eu fosse e um apreciar indireto daquilo que eu gostaria de ser. 

É um corte profundo com a natureza violenta, colonialista e patriarcal da sociedade em que vivo. 

Mas mais do que um corte, é um ato de carinho para comigo, para com a minha beleza e para com a minha auto-estima. É um esmagar das caixas em que me tentam colocar e é um grito de liberdade. 

Considero cortar o cabelo um ato terapêutico de limpeza de todos os males que sufocam as nossas vidas. 

É redescobrir quem verdadeiramente somos, é deixar cair todo o tipo de máscaras, é sermos forçados a olhar para o espelho sem filtros. 

Nunca vi nada mais natural, nem autêntico que uma mulher negra de cabelo curto, e ali nesse espaço de tempo específico, encontra-se toda a nossa beleza, toda a nossa força, todo o nosso poder. Voltamos a como viemos ao mundo. Voltamos ao início de como o mundo começou. 

Vão falar? Vão. Vão odiar? Vão. 

Mas no final do dia, a falta de respeito que me têm mantém-se e o que muda é a subtileza com que a fazem. 

De cabelo curto ou comprido eu, como pessoa negra, não encaixo nessa sociedade. Então, hoje eu escolho o cabelo curto. Escolho amar-me aos olhos do ódio dos que me rodeiam.

-Sobre Mafalda Fernandes-

Nascida e criada no Porto, filha de pais brancos e irmã de mulheres negras. Formada em Psicologia Social, o estudo e pensamento sobre problemas sociais relacionados ao racismo, são a sua maior paixão. Criou o @quotidianodeumanegra, página de Instagram onde expressa as suas inquietudes. Usa o ecoturismo como forma de criar consciência anti-racista na sociedade. Fã de Legos, livros e amizades, vive pela honestidade e pelo conhecimento. 

Texto de Mafalda Fernandes
As posições expressas pelas pessoas que escrevem as colunas de opinião são apenas da sua própria responsabilidade.

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

20 Junho 2024

Carta do Leitor: André, cala-te só um bocadinho…

18 Junho 2024

Tirar a cabeça da areia

18 Junho 2024

Carta do Leitor: O argumento romântico para a participação política

13 Junho 2024

Ansiedade Política: Como Lidar com a ascensão da Extrema Direita?

11 Junho 2024

Sobre o Princípio de Reparação do Dano Ambiental (e a Necessidade de Tutelar o Direito ao Ambiente)

6 Junho 2024

Em voz alta: Medo em tempos de ódio

6 Junho 2024

Sobre o novo aeroporto e a sustentabilidade do setor da aviação

4 Junho 2024

Paz

30 Maio 2024

Sem ensaios de ciência: Viagem decisiva – entre ciência e humanidade

30 Maio 2024

Contra os capo regimes em ciência

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [para entidades]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0