Past Perfect, a curta metragem de Jorge Jácome, vai estrear a nível mundial no Berlinale — Festival de Cinema de Berlim. Em competição direta consigo estão, entre outros, Bárbara Wagner e Benjamin de Bruca, do Brasil, Martín Reitman e Manuel Abramovich, da Argentina, Luca Tóth e Flóra Anna Buda, da Hungria, e Rainer Kohlberger, da Áustria. 

Em 2017, Jorge Jácome estreou Flores, o filme que lhe valeu o prémio Novo Talento no IndieLisboa desse ano, os prémios do público e da competição internacional do Festival de Curtas Metragens de Hamburgo, e outras distinções internacionais na Croácia, na Roménia, em Espanha, na Colômbia, na Suíça, no México e em Itália. 

Nascido em 1988, Jorge estudou cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) de Lisboa e no Le Fresnoy — Studio National des Arts Contemporains, em Tourcoing (França). Além do trabalho enquanto cineasta, colabora regularmente em projetos de performance art, segundo a biografia disponível no seu canal do Vimeo

Este é a 69.ª edição do Festival de Cinema de Berlim. Além do filme de Jorge Jácome e dos restantes em competição, a organização destaca a estreia de Marighella, de Wagner Moura, e Varda par Agnès, de Agnès Varda. Recorde-se que, nos anos de 2016 e 2017, Leonor Teles e Diogo Costa Amarante venceram o urso de ouro, o prémio da competição, com Balada de um batráquio e Cidade pequena, respetivamente. 

Entre os dias 7 e 17 de fevereiro, Berlim vai ser o ponto principal de discussão sobre cinema. Até lá podes descobrir mais sobre o trabalho de Jorge Jácome aqui

Texto de Carolina Franco
Frame do filme Flores de Jorge Jácome

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.