O Curtas Vila do Conde fecha a programação da sua 27ª edição com a apresentação das secções dedicadas ao cinema nacional: Competição Nacional, Panorama Português e Take One!.

As novas formas, as novas temáticas, as novas visões dos realizadores que marcam o universo cinematográfico nacional: estas são as (linhas das) obras que marcam a Competição Nacional do Curtas, que conta, este ano, com dezasseis filmes em estreia nacional. A selecção inclui filmes estreados em Cannes, este ano, como o último filme de Gabriel Abrantes, “Les Extraordinaires Mésaventures De La Jeune Fille De Pierre” (Quinzena dos Realizadores) e “Dia de Festa”, de Sofia Bost (Semana da Crítica), tal como os  projectosmais recentes de realizadores reconhecidos no contexto nacional e internacional de festivais de cinema, como Diogo Costa Amarante, que apresenta “O Verde do Jardim”, e Diogo Baldaia, com “Destiny Deluxe”. A competição também é marcada pelo regresso de realizadores ao festival, como Mariana Gaivão, com “Ruby”, André Marques, com “Não Procures Mais Além”, Paulo Furtado, com “Amor Quântico” e Pedro Neves, com “a Fábrica”, tal como a apresentação de obras apoiadas pelo Portuguese Film Fund (no IndieLisboa), como “18”, de Rui Esperança, “Ave Rara”, de Vasco Saltão e “Colmeal”, Márcio Laranjeira e Sérgio Brás d’Almeida

Como pólo de projecção – e valorização – do cinema nacional, o Curtas apresenta uma selecção não-competitiva de cinco filmes que marcaram o panorama do cinema português do último ano: o Panorama Nacional. Desde o multi-premiado “Past Perfect”, de Jorge Jácome, que estreou em Berlim, tal como “Fordlândia Malaise”, de Susana de Sousa Dias, aos filmes de destaque da Competição Nacional de Curtas do IndieLisboa deste ano: “A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer”, de Sílvia Fadas, “O Mar Enrola na Areia”, de Catarina Mourão e “Bela Mandil, de Helena Estrela.

O futuro, o presente e o passado conjugam-se na programação do festival, que tanto dá espaço para novos realizadores mostrarem, na grande tela, os seus primeiros passos (na secção “Take One!”, que apresenta filmes produzidos por alunos portugueses em escolas nacionais e estrangeiras), como também dá uma oportunidade para revisitação de trabalhos de realizadores já estabelecidos: desde a retrospectiva a Carlos Conceição, às sessões especiais de Manoel de Oliveira e João César Monteiro.

A programação completa do Curtas Vila do Conde, que decorre de 6 a 14 de Julho, pode ser consultada aqui.

Texto de Teresa Vieira
Imagem de “Dia de Festa” (2019, Sofia Bost)

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.