As portas do “Teatro da Memória”, no Café Milenário, abriram ontem pela primeira vez para uma conversa sobre o 30º aniversário d’ A Oficina. Entre os dias 16 e 20 de janeiro as celebrações continuam com debates, espetáculos, exposições, dias abertos nos museus, oficinas, visitas e conversas. 

O “Teatro da Memória” é o novo ciclo de programação d’A Oficina que, nas palavras da organização, “pede emprestado o mote ao humanista Giulio Camillo que, no século XVI, propôs uma especulação utópica ao projetar um lugar que podia albergar toda a memória”. A viagem pela memória passa pelo Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), pela Casa da Memória de Guimarães (CDMG) e o Centro Cultural Vila Flor (CCVF). 

Na sexta-feira, dia 18 de janeiro, às 15h00, o convite é feito às escolas para assistirem ao espetáculo “Montanha-Russa, da dupla Miguel Fragata e Inês Barahona, à qual se juntam os membros da banda Clã, Hélder Gonçalves e Manuela Azevedo. No sábado, dia 19, o espetáculo é apresentado a todo o público. Ao teatro musical que parte da recolha de diários de adolescentes dos anos 70 a 2000, segue-se a apresentação do documentário “Canção a Meio”, que bebe da mesma fonte de inspiração mas aos olhos de Maria Remédio, às 17h00 no Pequeno Auditório do CCVF. A noite acaba com uma festa guiada pelos DJs Valjean (Montanha Russa), a partir das 22h30. 

Também na sexta-feira inaugura a exposição “Bergado & Terebentina”, às 22h00 no Palácio Vila Flor. O colectivo homónimo à exposição vai-se movimentando “pelo underground do Porto” e trabalha em diferentes expressões artísticas, das artes plásticas à performance. Vão povoar o CCVF durante três meses, a terminar no dia 23 de março, a data de encerramento da exposição. 

No CIAJG a programação começa no dia 19 de janeiro às 15h00, com o concerto “Songs of Hope”, que reune quatro agrupamentos do Conservatório de Música de Guimarães (Orquestra Sinfónica, Orquestra de Sopros, Orquestra de Cordas e Coro Misto). O repertório vai de Ysaye Barnwell, a Ennio Morricone, até John Lennon, o artista que une gerações. A entrada é livre. 

Para o dia 20 de Janeiro está preparada a oficina “Domingos em Casa”, às 11h00 na CDMG, com Filipe Saraiva a transformar a Casa da Memória numa sala de estar. O público-alvo são crianças cuja idade é superior a 5 anos e tem o custo de 2€, mediante inscrição através do e-mail mediacaocultural@aoficina.pt ou do telefone 253424700, até ao dia 17 de janeiro. 

Para os adultos, no mesmo dia, o CIAJG convida a assistir à performance “Comer o coração em cena”, que resulta na interação de Vera Mantero com uma escultura de Rui Chafes, e uma conversa com o escultor às 18h00, a propósito da exposição patente até ao dia 10 de fevereiro no CIAJG, “Desenho sem fim”

Os bilhetes para os espetáculos podem ser adquiridos nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor (no Centro e no site), do Centro Internacional José de Guimarães e da Casa da Memória de Guimarães, assim como nas lojas Fnac e El Corte Inglés e na bilheteira online

Texto de Carolina Franco
Fotografia de © Alcino Gonçalves

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.