A escola primária de Oliveira São Pedro recebeu, esta segunda-feira, dia 2, a apresentação da Estratégia Cultural de Braga 2020-2030, que visa fomentar as iniciativas culturais na cidade como um dos pilares de desenvolvimento sustentável. A programação pretende ainda consolidar a candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura 2027.

Redigido pelo projeto Braga Cultura 2030, o documento contou com a participação e contributo de milhares de bracarenses. Ricardo Rio, presidente da câmara municipal de Braga, frisou, durante a apresentação, que a cultura continua a ser uma “área chave” do seu executivo. A cultura apresenta-se como “uma área transversal a toda a gestão municipal. Não é cultura pela cultura, é cultura enquanto elemento verdadeiro de desenvolvimento da sociedade, é o motor de muitas dinâmicas económicas”, completou.

Lídia Dias, vereadora da Cultura, relembrou que “a cidade não é só o centro histórico”. A escolha do local da apresentação, “que sempre foi de formação de muitas gerações”, faz parte do objetivo de descentralizar a cultura no município. A escola de Oliveira São Pedro “será um centro de criação e experimentação de uma rede mais ambiciosa” de espaços culturais, referiu.

Apesar da candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027, o documento da estratégia estende-se de 2020 a 2030: “Há um trabalho que tem de ser feito e uma década em que temos de investir”, concluiu a vereadora.

A nova estratégia da década debruça-se em quatro eixos que, por sua vez, se desdobram em diferentes programas. As diversas áreas dividem-se pela cultura, diversidade, criatividade, inclusão, participação, conhecimento, economia, território e paisagem. Algumas das propostas passam por fomentar a formação nas áreas da criação, interligar os equipamentos culturais municipais, reabilitar novos espaços, acolher novas iniciativas descentralizadas nas freguesias da cidade, incentivar programas de criação e atração de negócios nos setores criativos, motivar a população local a acolher artistas e a participar em iniciativas culturais, entre muitas outras medidas. O documento completo pode ser consultado aqui.

O programa, no entanto, continua em aberto. A iniciativa Braga Cultura 2030 incentiva a população bracarense a enviar propostas, ideias e o seu feedback sobre a estratégia, de forma a reformular e conhecer novas visões e perspetivas sobre a cultura na cidade.

Criado em 2017, o projeto Braga Cultura 2030 já desenvolveu atividades como workshops, conversas e o programa Variações na cidade. Os promotores desde documento são o município de Braga e o Theatro Circo e a coordenação executiva fica a cargo de Cláudia Leite.

Texto por Gabriel Ribeiro
Fotografia via Facebook da câmara municipal de Braga

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
braga-gerador