Dia 9 de outubro Ditas e Desditas da Estatuária Lisbonense lança os seus últimos episódios. A assinalar o fecho do projeto a artista Isabel Brison estará presente numa conferência digital, pelas 11horas, através da sala zoom do Teatro do Bairro Alto (TBA).

Durante 2021 refletiu sobre um conjunto de histórias centradas em monumentos e conjuntos escultóricos da zona de Lisboa. Uma reunião de partilhas e conhecimento que, desta vez, conta tem como protagonistas duas peças "que, em rigor, não são estátuas mas esculturas abstratas, e sobre as quais a informação é pouca ou não existente, traçamos um percurso que nos leva desde os primeiros anos da Amadora enquanto município de volta a Lisboa, seguindo o fio de uma sucessão de desaparecimentos, trocas e mudanças de sítio envolvendo múltiplas peças ao longo de quase 25 anos", lê-se em sinopse.

Em conferência, Isabel juntamente com Nuno Rodrigues de Sousa refletem o seu projeto de investigação em torno do monumento ao 25 de abril, construído pelos trabalhadores da SOREFAME e colocado na Praça das Águas Livres na Damaia em 1985, e retirado alguns anos depois. O Monumento da Praça das Águas Livres além de levantar questões sobre a autoria do monumento interroga também a importância do trabalho voluntário na construção de espaços públicos no município da Amadora durante os anos oitenta e na (curta) história desta peça em particular.

O evento contará ainda com a participação de Rui Lopes (IHC), Joana Sousa Monteiro (Museu de Lisboa), Mamadou Ba (SOS RACISMO), Pedro Cerejo (CET) e Lourenço Egreja (Carpe Diem Arte e Pesquisa).

Local: online, sala do TBA;

Horário: 9 de outubro às 11horas;

Preço: gratuito.

Fotografia dea cortesia do TBA
Se queres consultar mais agendas, clica aqui.