A 18ª edição do Doclisboa decorre entre outubro de 2020 e março de 2021, no Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa e no Cinema Ideal. A programação deste ano conta com 206 filmes, 31 estreias mundiais e 30 estreias internacionais repartidas ao longo dos seis momentos do festival. Um modelo que parte da necessidade de potenciar os espaços públicos de encontro, a experiência coletiva da arte cinematográfica e a sua contribuição para a reconstrução e fortalecimento social.

O segundo momento do Doclisboa, “Deslocações” tem lugar de 5 a 11 de novembro, e pretende desafiar a fluidez de conceitos de identidade, espaço e tempo nas mais diversas camadas, sejam elas na esfera pessoal, social ou política. Uma paragem para ver os filmes de Maria Clara Escobar, Luciana Fina, Mouaad el Salem e Cláudia Varejão.

As sessões terão todas lugar nas salas de cinema de Lisboa (Culturgest, Cinema São Jorge, Cinemateca Portuguesa e Cinema Ideal), à exceção dos Verdes Anos e do programa histórico do Corpo de Trabalho, que estarão disponíveis em dafilms.com, entre 22 de outubro e 3 de novembro.

Após “Deslocações” terão ainda lugar nesta edição do doclisboa as seguintes fases “Espaços de Intimidade” (3 a 9 de dezembro), “Ficaram Tantas Histórias por contar” (14 a 20 de janeiro); “Arquivos do Presente”( 4 a 10 de fevereiro); e “De onde venho, para onde vou” ( 4 a 10 de março).

Este ano, o Nebulae, a área do Doclisboa dedicada à indústria, decorrerá exclusivamente nas plataformas online, oferecendo um conjunto de atividades, encontros e oportunidades para o desenvolvimento da criação e produção do cinema independente.

Consulta aqui o horário das sessões.

Texto de Isabel Marques
Fotografia disponível via facebook DocLisboa
O Gerador é parceiro da DocLisboa.

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica
aqui
.