O município de Guimarães apresentou, no início desta semana, a nova programação para os meses de setembro a dezembro. A conferência sobre o lançamento foi realizada no café-concerto do Centro Cultural Vila Flor (CCVF). Na apresentação, estiveram presentes os vários programadores dos espaços culturais da cidade.

João Pedro Vaz, diretor artístico, d’A Oficina começou por revelar que a capa desta edição é “sobre um festival que recolhe recordações: é a primeira peça do Teatro Oficina”. Trata-se de “A Grande Serpente”, com apresentação a 13 e 14 de dezembro, e que celebra os 25 anos da companhia vimaranense.

Rui Torrinha, programador do CCVF, enalteceu o festival Manta, a ter lugar este fim de semana no mesmo espaço. Em palco, tocam temas mais tropicais e exóticos. Já Catarina Pereira, programadora da Casa da Memória de Guimarães (CDMG), revelou que a loja Oficina “é um novo espaço de memória onde nasceu Alberto Sampaio” e que, por isso, é necessário “interligar com a história, mas tem de ser um núcleo em várias áreas, como o bordado e olaria”.

Houve ainda especial destaque para o Guimarães Jazz, a ter lugar nos dias 7 a 16 de novembro para a sua 28.ª edição. No mesmo mês, “A Menina do Mar” sobe ao palco do grande auditório para celebrar o centenário do nascimento da autora Sophia de Mello Breyner Andresen.

A programação conta ainda com exposições cinema, visitas guiadas, concertos, entre outros momentos culturais.

Texto por Gabriel Ribeiro
Fotografia de Gabriel Ribeiro

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.