Ao longo de 2021, o projeto Ditas e Desditas da Estatuária Lisbonense da artista Isabel Brison reuniu online um conjunto de histórias centradas em monumentos e conjuntos escultóricos da zona de Lisboa. O projeto termina agora com o lançamento dos últimos episódios e com uma conferência digital no dia 9 de outubro, na sala zoom do Teatro do Bairro Alto, pelas 11h00 .

Na reta final de Ditas e Desditas da Estatuária Lisbonense, Isabel Brison e Nuno Rodrigues de Sousa apresentam uma conferência sobre o seu projeto de investigação em torno do monumento ao 25 de abril, construído pelos trabalhadores da SOREFAME e colocado na Praça das Águas Livres na Damaia em 1985, e retirado alguns anos depois. Para além da questão da autoria do monumento, a investigação interroga a importância do trabalho voluntário na construção de espaços públicos no município da Amadora durante os anos oitenta e na história desta peça em particular.

Acima de tudo, a série procura misturar factos históricos e narrativas funcionais, dando uma nova perspetiva sobre a cidade.

Podcast Dito e Feito

A conferência este sábado, 9 de outubro, pelas 11h00, via zoom, vai contar ainda com as participações de Rui Lopes (Instituto de História Contemporânea); de Joana Sousa Monteiro (Museu de Lisboa); de Mamadou Ba (SOS RACISMO); de Pedro Cerejo (Centro de estudos de teatro) e de Lourenço Egreja (Carpe Diem Arte e Pesquisa).

Saliente-se ainda que "Ditas e Desditas" é um site produzido por Isabel Brison.

Isabel Brison é licenciada em escultura pela Universidade de Lisboa, e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. O seu trabalho foi recentemente exposto na coletiva Fiction and Fabrication in Post-Digital Architectural Photography (2019) no MAAT, Lisboa.

Texto de Isabel Marques
Fotografia da cortesia da organização