A escritora portuguesa Lídia Jorge é a vencedora do XXIV Grande Prémio de Literatura atribuído pelo grupo empresarial DST, com a obra “Estuário”.

De acordo com comunicado da DST, o prémio, no valor de 15 mil euros, será entregue no próximo dia 28 de junho, no Theatro Circo, no âmbito da inauguração da Feira do Livro de Braga.

O júri, composto pelos escritores Vítor Aguiar e Silva, José Manuel Mendes e Carlos Mendes de Sousa, escolheu o romance de Lídia Jorge “pela elevada qualidade da sua escrita, absorvendo e reelaborando fragmentos de um quotidiano mutacional, com fortes sequências efabulatórias e personagens com notória densidade social e psicológica”.

“Estuário”, publicado em maio do ano passado, “retrata a vulnerabilidade de um homem, de uma família, de uma sociedade e do próprio equilíbrio da Terra, relatados pelo olhar de um jovem sonhador que se interroga sobre a fragilidade da condição humana”, lê-se no comunicado.

A XXIV edição do prémio, dedicada à prosa, registou uma centena de publicações de autores portugueses, dos quais foram selecionados cinco finalistas: Joana Bértholo com “Ecologia”, Mário de Carvalho com “Burgueses Somos Todos Nós ou Ainda Menos”, Hélia Correia com “Um Bailarino na Batalha”, Julieta Monginho com “Um Muro no Meio do Caminho” e a vencedora Lídia Jorge com “Estuário”.

O Grande Prémio da Literatura é um concurso nacional, promovido pelo grupo DST há quase 25 anos, que distingue, rotativamente, livros de prosa e poesia publicados nos dois anos anteriores. Nos últimos anos, o concurso tem distinguido nomes como Jacinto Lucas Pires, Armando Silva Carvalho, Luísa Costa Gomes, Manuel Alegre e Mário Cláudio. Em 2018, o vencedor foi Daniel Jonas, com o livro de poesia “Oblívio”.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de “Estuário” de Lídia Jorge

Se queres ler mais entrevistas sobre a cultura em Portugal, clica aqui.