O Verão de 2018. Uma data composto por memórias onde as bagagens, os locais, as pessoas e os sons se reuniam entre artistas de diferentes etnias para que dessem corpo a uma orquestra em apenas 5 dias. Todas estas representações estão aglomeradas em sessenta horas de filmagens que aguardam por uma Pós-Produção para dar vida a Ethno - The Sound Of Family. A produtora independente Onírico Filmes assinala assim o início de um crowdfunding para que tal aconteça.

O documentário que aborda as relações humanas que se formam no contexto das residências artísticas Ethno é um filme, cuja duração estimada será de 120 minutos e que acompanha intensivamente a jornada de 4 integrantes no Ethno Portugal em agosto de 2018 e seis meses depois no Folk Marathon Portugal, em dezembro de 2018. Estes membros revelam-se uma ponte entre os laços emocionais do grupo de sessenta pessoas e as músicas que trazem dos seus respectivos países.

Voltando-se para músicas da Grécia, da Argentina, do Kurdistão e de Portugal e para todos os participantes que trouxeram essas respectivas canções do seu país, todo o filme será narrado por Matilde Real, a operadora de som do filme, que também dá voz à ligação emocional do documentário que se vai edificando. "Enquanto se constrói a história dos quatro protagonistas do Ethno, a imagem de Matilde, que ao início é invisível, vai surgindo aos poucos de uma forma cada vez mais descontraída, relaxada e a aproveitar a residência enquanto deixa o seu cargo como documentarista para trás", lê-se em comunicado.

É com uma participação regular e que se vai tornando cada vez mais assídua que Matilde parte do som da longa-metragem para a íntegra do Ethno.

Henrique Prudêncio, realizador do filme, explica que "tenho mais de sessenta horas de filmagens e não tenho conseguido arranjar as condições para me concentrar completamente no processo muito demorado que é editar uma longa-metragem documental. Por isso estou a criar esta campanha, porque acredito completamente no poder transformativo deste filme".

Com a vontade de dar "este presente" que lhe caiu em mãos a partir de uma "residência extraordinária, humana e pré-pandémica com uma colega de equipa que se deixou encantar pelo ambiente", Henrique acredita que " se apaixonou a Matilde, consegue apaixonar o mundo".

Texto por Patrícia Silva
Still da cortesia da Onírico Filmes

Se queres ler mais notícias, clica aqui.