Em 2020, celebra-se o bicentenário da Revolução Liberal de 1820, acontecimento que está na origem da Monarquia Constitucional, derradeira fase deste regime em Portugal. Em simultâneo celebram-se também os 150 anos da construção do Monumento a D. Pedro IV, erigido na antiga Praça do Rossio – rebatizada como Praça D. Pedro IV – e inaugurado a 29 de abril de 1870. O acontecimento será assinalado com uma exposição no Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, que inaugura no próximo dia 16 de julho.

O Museu de Lisboa, que integra o programa Relembrar a Revolução de 1820 – Liberdade e Cidadania, liderado pelo Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, pretende assim revisitar a escultura pública que, não obstante ter sido materializada muito depois dos acontecimentos de 1820, está intimamente ligada a essa memória cívica do rei fundador do novo regime.

A exposição patente no piso superior do Museu de Lisboa – Palácio Pimenta revisita a história de um monumento que levou mais de 35 anos a ser erigido. Para além de peças inéditas do acervo do Museu de Lisboa, a mostra conta com obras procedentes de outras instituições, como o Museu Nacional dos Coches, a Biblioteca de Arte da Fundação de Calouste Gulbenkian, a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e o Arquivo Histórico do antigo Ministério das Obras Públicas, hoje tutelado pela Secretaria-Geral da Economia. Pode ser visitada de terça a domingo, das 11h às 17h, tendo uma lotação máxima de 8 pessoas por visita.

Fotografia via flickr