Entre os dias 14 e 19 de outubro o Family Film Project (FFP) regressa ao Porto para a sua oitava edição. O Teatro Rivoli, o Passos Manuel, o Coliseu, o auditório Almeida Gerrett, o Teatro Carlos Alberto e outras galerias de arte, ruas e bares unem-se para mostrar e pensar o cinema. 

A caminho da 8ª edição, o FFP é um festival de cinema internacional que trabalha a imagem em movimento em torno de três pilares-base: arquivo, memória e etnografia. Desde a sua primeira edição, em 2012, tem vindo a apostar cada vez mais na internacionalização, não esquecendo uma forte presença do cinema português.

Após já ter convidado outros cineastas portugueses e internacionais como Jonas Mekas (2012), Péter Forgács (2013), Alina Marazzi (2015), João Canijo (2016) ou Daniel Blaukus (2018), convida este ano Cláudia Varejão. A noite de abertura do festival conta com a exibição de “Ama-San”, anteriormente distinguido pelo DocLisboa e pelo festival de Sarajevo.

“Ama-San” é um filme da produtora Terra Treme

Como em qualquer festival de cinema, o Family Film Project tem uma programação competitiva, sendo que esta se divide em três zonas temáticas, citando o site oficial: “Vidas e lugares (com enfoque no registo voyeurístico, biográfico ou documental de habitats e quotidianos), Ligações (centrada nas dinâmicas interpessoais e comunitárias) e Memória e Arquivo (dedicada a olhares criativos a partir de testemunhos e de found footage)”. Há também uma secção competitiva autónoma que se dedica exclusivamente à ficção e animação.

Além das sessões de cinema e competição, o projeto agrega no seu festival exposições e instalações, filmes-concerto, performances em diferentes lugares da cidade, masterclasses, conferências e lançamento de livros. Sabe mais sobre o FFP, aqui

Texto de Carolina Franco
Fotografia de © Pedro Figueiredo disponível via Facebook
O Family Film Project é parceiro do Gerador

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.