De 28 de dezembro a 1 de janeiro de 2020, o Teatro de Vila Real apresentará o Festival de Ano Novo (FAN), um festival onde a música erudita clássica e contemporânea poderá ser ouvida em nove espetáculos.

A 14.ª edição do FAN abrirá com a estreia nacional de uma produção própria do Teatro de Vila Real, à qual chamaram Poema Geológico, que é também a estreia do primeiro ensemble transmontano – Oniros Ensemble – dedicado a repertório contemporâneo. Esta produção nasce da intenção de promover a música erudita contemporânea em Trás-os-Montes e Alto Douro, através da interpretação de obras de compositores da região. O espetáculo assenta em obras do compositor Fábio Videira e evoca o património imaterial da região através de uma combinação de vídeo e de luz.

A esta obra portuguesa, juntam-se os 250 anos do nascimento de Ludwig van Beethoven, que são assinalados em três momentos. O primeiro surge numa das três peças que compõem o programa da Companhia Nacional de Bailado dedicada ao coreógrafo Hans van Manen, onde a Sonata para Piano n.º 29, opus 106, de Beethoven, é a base musical da coreografia “Adagio Hammerklavier”, um dos clássicos do século xx. O segundo momento é o espetáculo “Beethoven e a sua Época”, da Musicamera, onde será interpretado o Septeto em mi b M, op. 20. E, no terceiro, a pianista luso-suíça Leonor Dill passará pela obra de Beethoven num recital em que se preveem também peças de Mendelssohn, Schumann, Debussy e Ravel.

A vertente contemporânea do festival está representada por artistas nacionais e internacionais. A Banda Sinfónica Transmontana, que teve a sua estreia na edição de 2019 do FAN, regressa este ano ao festival com três obras de compositores contemporâneos: Toshio Mashima, John Mackey e Joseph Horovitz. A francesa Christine Ott (que tem colaborado com artistas como Yann Tiersen e Tindersticks), a espanhola Marta Cascales Alimbau (com influências de Bach, Debussy, Ólafur Arnalds e Max Richter) e o inglês Simeon Walker (um dos nomes destacados no panorama clássico moderno britânico) são os três pianistas estrangeiros que se somam à Banda Sinfónica Transmontana.

Para os mais novos, o FAN agendou a ópera infantil A Rolha da Garrafa do Rei D’Aonde?, uma criação que inclui música de Prokofiev, Shostakovitch, Tchaikovsky, entre outros. Este espetáculo é antecedido por uma mini-residência artística para crianças, orientada pela companhia Ópera Isto, sob o mote Quem Quer Entrar Numa Ópera?.

Podes consultar o programa completo aqui e aceder a mais informações no site do Teatro de Vila Real.

Texto de Rita Dias
Fotografia disponível no site do Teatro de Vila Real

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.