O festival Caminhos do Cinema Português decorre de 22 a 30 de novembro, em Coimbra, sendo que a programação deste ano conta com uma seleção de 177 filmes, entre eles as longas dos portugueses Susana Sousa Dias, Pedro Costa e Tiago Guedes.

Num ano marcado pela celebração dos seus 25 anos, o festival terá em exibição uma mostra de curtas-metragens, longas e animação, num universo de mais de 700 candidaturas a todas as secções de programação do festival. "Há 25 anos, que é uma atividade promovida em Coimbra com o objectivo de difundir e nutrir o interesse pelo Cinema Português. Promovemos sessões de cinema, acções de formação, debates acerca da sétima arte e, acima de tudo o contacto próximo entre o público e os nossos cineastas", pode ler-se na apresentação do festival deste ano.

O festival é composto por três secções competitivas, selecção Caminhos, selecção Ensaios e “Outros Olhares”, e seis secções paralelas. Na seleção Caminhos (a secção competitiva principal), que decorre no Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), vão estar presentes filmes como os documentários Campo, de Tiago Hespanha, Prazer, Camaradas!, de José Filipe Costa, e Fordlândia Malaise, de Susana Sousa Dias, ou as longas-metragens ficcionais Vitalina Varela, de Pedro Costa, e Tristeza e Alegria na Vida das Girafas, de Tiago Guedes. Serão também exibidos os filmes Hálito Azul, de Rodrigo Areias, Variações, de João Maia, Alva, de Ico Costa, e a curta-metragem de Teresa Villaverde Où en êtes-vous, Teresa Villaverde?.

Na seleção Ensaios, dedicada às obras criadas em contexto académico, vai "permitir o olhar comparativo entre as academias nacionais e internacionais", de acordo com a organização. Nesta seleção serão exibidos filmes como Jantar, de Tatiana Ramos, Lisboa-Santarém, de Frederico Nobre de Carvalho ou Em Caso de Fogo, de Tomás Paula
Marques.

Já a secção Outros Olhares, criada em 2018 e dedicada a um tipo de cinema mais experimental, será também de carácter competitivo. Este ano a mostra decorre no o Mini Auditório Salgado Zenha, apresentando-se como "um espaço reservado a outros olhares sobre a prática e o exercício cinematográfico, alimentando o derrube do cânone e a procura de novas linguagens.

Na edição deste ano do Caminhos, será atribuído o prémio "Carreira" à atriz Isabel Ruth, que, ao longo de mais de cinco décadas, entrou em filmes de Manoel de Oliveira, Teresa Villaverde, João Botelho, Paulo Rocha ou Sérgio Tréfaut.

Na sessão de abertura, haverá um espetáculo, com a presença do DJ e produtor Stereossauro, que tem como tema "Os Verdes Anos", com uma interpretação da música de Carlos Paredes incluída na banda sonora do filme de Paulo Rocha, de 1962, em que Isabel Ruth participou.

A 30 de novembro, no último dia, haverá também uma sessão de programação em que foi dada "carta-branca" ao realizador João Salaviza para programar uma sessão no mini auditório Salgado Zenha, no edifício da Associação Académica.

Ao longo do festival, alguns dos filmes da secção competitiva serão repostos, durante a semana, no cinema do centro comercial Alma.A sessão de encerramento do festival decorre no TAGV, a 30 de novembro, às 21h45, com a entrega de prémios.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Cartaz do Festival Caminhos do Cinema Português

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.