A 43.ª edição do Cinanima - Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho arranca esta segunda-feira, dia 11 de novembro e, até ao dia 17, conta com 113 filmes em competição, exibindo também uma secção especial com obras sobre os oceanos.

De acordo com a organização do evento, o cartaz competitivo de 2019 representa a seleção das melhores obras entre 1.367 candidaturas ao festival de cinema que é mais antigo do país e o terceiro do mundo com mais longevidade no segmento específico da animação.

Em declarações à agência Lusa, António Cavacas, diretor do festival, realçou que o "Cinanima não se reduz a um concurso de filmes e muito menos a um mero conjunto de sessões de cinema de animação. Existe aqui uma clara preocupação em fomentar e divulgar o cinema de animação de autor e o interesse por esta arte, e a melhor forma de o fazer é apostar na componente formativa".

Partindo dessa preocupação, o festival apresenta um conjunto de  masterclasses, que contam com o apoio da Fundação Altice para levar formação a Espinho, Porto, Matosinhos e Barcelos, e que se concretizam também durante o resto do ano, com programas educativos destinados a iniciar na Sétima Arte os alunos de várias escolas de Espinho e Ovar.

Fora da competição, o Cinanima apresenta uma seleção de 237 filmes, este ano centrados sobretudo na problemática da poluição dos oceanos e das alterações climáticas. A sessão de abertura do evento decorre esta segunda-feira, pelas 22h, com a estreia em Portugal da longa-metragem "A Fantástica Viagem de Marona", da realizadora romena Anca Damian.

O festival Cinanima decorre em várias salas de Espinho e de outras cidades da região Norte, entre as quais a Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto. A sede do evento mantém-se, contudo, no Centro Multimeios de Espinho. Os prémios do Cinanima são entregues no próximo domingo.

 Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Cartaz do Cinanima via facebook

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.