O Folio – Festival Literário Internacional de Óbidos já tem datas marcadas e lançou recentemente o tema que dá o certame para a próxima edição: “O Tempo e o Medo”. De 10 a 20 de outubro, a Vila Literária recebe o lançamento de livros, debates, mesas redondas, entrevistas, sessões de autógrafos e conversas entre escritores e leitores. 

Humberto Marques, presidente da câmara de Óbidos, sublinhou à Lusa que “vivemos num tempo em que o medo é transversal a questões como as alterações climáticas, a insegurança, as novas tecnologias que levam às escassez do trabalho”, o que evidencia a “contemporaneidade” do tema escolhido para a 5ª edição do festival. 

A organização divulgou que o Folio vai receber novos curadores para as cinco categorias que o compõem — Folia, Folio Autores, Folio Educa, Folio Ilustra e Folio Paralelo. No Folio Autores, o capítulo do festival que leva à vila dezenas de escritores e pensadores pra participar nas mesas redondas, vai ser a jornalista Ana Sousa Dias a responsável pela curadoria, repartindo o cargo com Pedro Sousa, da Sociedade Vila Literária, que já o tinha feito na edição anterior.

No Folio Educa mantém-se Maria José Vitorino e no Folio Ilustra também se repete a curadoria de Mafalda Milhões. Tal como na edição anterior A Folia ficará a cargo da empresa municipal Óbidos Criativa, liderada por Ricardo Ribeiro, e o Fólio + a cargo da Livraria Ler Devagar, gerida por José Pinho. 

Julian Fuks, escritor e crítico literário brasileiro,  foi um dos convidados na edição de 2018 

A organização do Folio, a Óbidos Vila Literária, aponta para maio a divulgação dos primeiros escritores confirmados para a 5ª edição. “A programação decorrerá nos mesmos moldes dos anos anteriores, mas haverá um reforço da Folia [fruto da parceria com o Inatel] e pretendemos alargar o tempo de estada dos escritores na vila, ao longo do festival”, afirmou Humberto Marques à Lusa.

Criado em 2015, o Folio teve a sua primeira edição em 2015 e contou com um investimento de meio milhão de euros, comparticipados por fundos comunitários. No ano seguinte passou a ser suportado pela autarquia que, para este ano, prevê um orçamento familiar. 

A 4ª edição do Folio contou com 831 horas de programação, compostas por 554 participantes diretos, que se distribuíram entre autores, pensadores, artistas e criativos, que participaram em 26 mesas de escritores, 25 concertos e 13 exposições ao longo de 11 dias. Sabe mais sobre o Folio e a vila literária, aqui

Texto de Lusa e Carolina Franco
Fotografia disponível via Facebook

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.