Há 10.ª edição, o Festival Materiais Diversos mantém o seu mote pela diversidade, adaptando a sua programação aos territórios onde se realiza e promovendo uma relação mais harmoniosa entre as comunidades e as artes performativas.

Num ano de celebração, o festival – que decorre de 27 de setembro a 5 de outubro, nas localidades de Minde, Cartaxo e Alcanena -, acolhe 17 espetáculos, cinco em estreia absoluta e quatro em estreia nacional e mais de 60 atividades envolvendo 150 artistas nacionais e internacionais.

Para além de ser uma edição comemorativa, esta será também a primeira num modelo bienal, após nove edições anuais. Em entrevista ao Gerador, Elisabete Paiva, diretora artística da Materiais Diversos realçou o facto do festival ter persistido na região, potenciando uma maior “compreensão sobre o papel da criação contemporânea”.

A edição deste ano arranca com a performance As Far as My Fingertips Take Me, da premiada artista libanesa Tania el Khoury – na sua primeira apresentação em Portugal -, que questiona “a atual condição dos refugiados na Europa e a sua relação com os europeus”.

Na programação de artistas nacionais, destaque para a estreia absoluta de Jogo de Lençóis de Lígia Soares, a mais recente criação da companhia Teatro do Vestido, Viagem a Portugal, com texto e direção de Joana Craveiro, e para a estreia da peça A Menor Língua do Mundo, sobre línguas minoritárias como o minderico (de Minde).

Por sua vez, no campo da dança, destaque ainda para apresentação de Margem, do coreógrafo Victor Hugo Pontes, vencedor este ano do prémio de Melhor Coreografia da Sociedade Portuguesa de Autores, assim como para as estreias de Mistério da Cultura, de David Marques e Partilhas/Exchanges de Filipa Francisco.

A encerrar o festival, na noite de 5 de outubro, no Centro Cultural do Cartaxo, a coreógrafa e bailarina Ana Rita Teodoro apresenta FoFo, espetáculo que, na fase de criação, incluiu duas oficinas de pesquisa com adolescentes, no Cartaxo e na escola secundária de Alcanena.

Na história desta edição, importa ainda destacar o ciclo “Noites Longas”, programadas pelo Bons Sons, que irá contar com um concerto de Manel Cruz, mas também dos They Must Be Crazy.

O festival irá contar ainda com uma exposição e um momento de debate, no qual participa Elisabete Paiva e Tiago Guedes, fundador da Materiais Diversos e atual director artístico do Teatro Rivoli, no Porto, numa conversa onde se perspetivam a história da dança, das artes performativas e dos novos centros de criação, programação e divulgação, assim como a experiência do Festival Materiais Diversos.

Estas e outras reflexões farão parte de um livro que a Materiais Diversos está a preparar a propósito dos 10 anos do festival, a ser publicado nos primeiros meses de 2020.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Luísa Baeta

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.