Conversas com artistas, debates, uma escola prática e uma exposição são algumas das atividades que, além dos espetáculos, compõem a a 10.ª edição do Festival Materiais Diversos, que decorre de de 27 de setembro a 5 de outubro, nas localidades de Minde, Alcanena e Cartaxo.

Além dos diversos espetáculos programados – cinco em estreia absoluta e quatro em estreia nacional – o festival que procura estabelecer o encontro entre as artes performativas contemporâneas e diferentes comunidades, quer também fomentar o debate e promover o diálogo entre públicos e artistas.

Neste sentido, o festival promove esta terça-feira, dia 24 de setembro, às 18h, uma conversa com Alex Cassal, Joana Craveiro e Lígia Soares. “Este é o momento para conhecer os artistas que protagonizam os projectos A Menor Língua do Mundo, Viagem a Portugal e Jogo de Lençóis e saber mais sobre estes espectáculos antes de estrearem no festival”, refere a organização em comunicado. No mesmo local, estão ainda programadas conversas individuais com   com David Marques, criador de Mistério da Cultura,  no dia 28, e com Lígia Soares, no dia 29. Já no Cartaxo, a 2 de outubro, haverá uma conversa com Alessandro Sciarroni, Rui Pina Coelho e Gustavo Vicente. Ao longo do festival estão ainda planeadas diversas conversas com artistas, após cada espetáculo.

Nesta 10ª edição do festival, ocorre também a escola de verão Na Prática, de 27 de setembro a 5 de outubro, destinada a artistas e investigadores e coorganizada pela Materiais Diversos e pelo Centro de Estudos de Teatro (FLUL). De acordo com a organização, Na Prática propõe formar uma comunidade temporária, que habita o festival e os seus lugares ao longo de nove dias, em torno da dimensão política de ser espectador e do trabalho de Alessandro Sciarroni, criador italiano que aqui apresentará uma das suas mais recentes criações, Don’t be Frightened of Turning the Page.

Além desta escola, o Festival Materiais Diversos apresenta, de 4 a 20 de outubro, no Centro Cultural do Cartaxo, a exposição “Para uma Timeline a Haver – Genealogias da Dança Enquanto Prática Artística em Portugal”, de João dos Santos Martins, Ana Bigotte Vieira e Carlos Manuel Oliveira.

Antes disso, a 28 de setembro, realiza-se o  debate “Entre a Urbe e a Serra”, moderado pelo investigador e programador cultural António Pinto Ribeiro com Elisabete Paiva e Tiago Guedes, numa conversa onde se perspetivam a história da dança, das artes performativas e dos novos centros de criação, programação e divulgação, assim como a experiência do Festival Materiais Diversos.

Estas e outras reflexões vão fazer parte de um livro que a Materiais Diversos está a preparar a propósito dos 10 anos do Festival, a ser publicado nos primeiros meses de 2020. Para este projeto editorial, foram convidados pensadores, programadores e artistas para desenvolverem conversas, textos e ensaios visuais.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de João dos Santos Martins

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.