A 6.ª edição do Festival Verão Clássico arranca hoje e, até dia 4 de agosto, apresenta mais de 500 aulas abertas e concertos espalhados pela capital.

Ao todo serão mais de 200 jovens músicos, com cerca de 30 nacionalidades envolvidas, e 15 mestres, músicos profissionais e pedagogos, na sua maioria distinguidos a nível internacional, a orientar as masterclasses. Estão já confirmados músicos e professores de renome de conservatórios e universidades reconhecidas, tais como Berlim, Londres, Paris, Genebra e Madrid, com destaque para a Orquestra Filarmónica de Berlim e Orquestra de Paris. Estas aulas abertas destinam-se a estudantes de música, músicos profissionais e ainda professores de música.

No plano dos concertos, de acordo com Filipe Pinto-Ribeiro, pianista e diretor pedagógico do Festival, o Verão Clássico apresenta “um repertório muito variado e apelativo, destacando-se a interpretação de obras para piano de Beethoven (de quem se celebram, este ano, os 250 anos do nascimento em Bona, na Alemanha), por Henri Sigfridsson e Eldar Nebolsin, e de um conjunto de canções do génio de Bona, em várias línguas, como é o caso de “Seus lindos olhos”, a única canção em português, e que será interpretada por Anna Samuil”, afirma em declarações à agência Lusa. Do cartaz fazem ainda parte quatro concertos – TalentFest – dos jovens talentos participantes na academia.

Este ano o Festival vai espalhar-se um pouco por toda a cidade de Lisboa, passando assim pelo Teatro Thalia, Palácio das Laranjeiras, Conservatório Nacional, Palácio Fronteira e, como é já habitual, pelo Centro Cultural de Belém e pelo edifício da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

O Festival e Academia Verão Clássico é um projeto criado em 2015 com um eixo performativo e educacional muito marcante.

O programa em detalhe pode ser consultado aqui.

Texto de Bárbara Dixe Ramos com Lusa
Fotografia via Festival Verão Clássico