Foram recentemente anunciadas duas contratações para espaços culturais da cidade do Porto. Filipa Ramos é a nova diretora do departamento de Arte Contemporânea da Galeria Municipal do Porto, Helena Freitas é a nova diretora do Parque de Serralves.

Depois de Guilherme Blanc ter assumido a pasta de diretor artístico do Cinema Batalha, cuja abertura está prevista para breve, Filipa Ramos surge como sua sucessora na direção da galeria que foi reaberta como espaço expositivo permanente em 2014, com coordenação de Paulo Cunha e Silva. De acordo com o portal de notícias Porto., a curadora e escritora assumirá a direção artística do "Departamento de Arte Contemporânea da Ágora – Cultura e Desporto do Porto, E.M., responsável pela gestão da Galeria Municipal do Porto e da plataforma de apoio à prática artística Pláka, a Fonoteca Municipal do Porto, além da coordenação de outros projetos de âmbito cultural e artístico do município".

Filipa Ramos nasceu em Lisboa, mas foi em Londres que começou a traçar o seu caminho nas artes. Lá foi conferencista no mestrado Experimental Film da Kingston University e no Mestrado em Pesquisa Art: Moving Image, no Central Saint Martins. Colaborou com organizações de renome, enquanto curadora da secção de pesquisa da dOCUMENTA (13), enquanto responsável pela programação de cinema da Art Basel Film, e como membro da equipa da 13.ª Bienal de Xangai. É co-fundadora e co-curadora do Vdrome, uma sala de cinema online focada no trabalho de artistas visuais e realizadores.

Para a curadora, este é um regresso a Portugal depois de cerca de duas décadas a viver em Inglaterra.

Ao contrário de Filipa Ramos, Helena Freitas já fazia parte dos quadros do lugar onde agora assume a pasta de diretora. A também Professora Catedrática na área da Biodiversidade e Ecologia no Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra trabalha no Parque de Serralves desde agosto de 2020 e dá, por isso, continuação a um trabalho que já tem vindo a ser feito.

Num comunicado enviado pela Fundação de Serralves, Helena Freitas dize que assume este cargo "com o propósito de dar maior expressão a um papel mais interventivo do Parque de Serralves em atividades de promoção e divulgação da ciência e à programação para a sustentabilidade". “Serralves é uma história de qualidade e de persistência na procura da cumplicidade de saberes, dando primazia ao gosto pela revelação sublime da expressão humana, na sua arte e na sua criatividade”, diz no mesmo comunicado.

Já Ana Pinho, presidente do Conselho de Administração de Serralves, destaca que a nova diretora do parque tem “um profundo conhecimento das áreas de atuação da Fundação de que será responsável e aporta, pela sua enorme experiencia nacional e internacional e pela sua visão inspiradora, um pragmatismo que reforçará a centralidade da importância estratégica do Parque no projeto de Serralves”.

Segundo a Agência Lusa, Helena Freitas é ainda Coordenadora da unidade de investigação Centre for Functional Ecology – science for people and the planet, coordenadora científica do FitoLab - Laboratório de Fitossanidade do Instituto Pedro Nunes e integra o Conselho Científico do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra. Em Julho de 2019 foi selecionada para o Mission Board for Climate Change Adaptation, including Societal Transformation da Comissão Europeia, Programa Horizonte Europa, e em Agosto de 2019 foi nomeada Ponto Focal de Portugal para o IPBES – Intergovernmental Platform for Biodiversity and Ecosystem Services (ONU).

Fotografia de Fundação de Serralves