Entre os dias 16 a 19 de maio, a Cordoaria Nacional, em Lisboa acolhe mais uma edição da ARCOlisboa – Feira Internacional de Arte Contemporânea, coorganizado pela IFEMA (Feria de Madrid) e pela Câmara Municipal de Lisboa, que conta este ano com a participação de 70 galerias, provenientes de 17 países distintos.

Na sua quarta edição, a feira apresenta a secção África em Foco, organizada pela curadora Paula Nascimento, que irá reunir uma seleção de 6 galerias provenientes de Angola, Uganda, Moçambique e África do Sul.

Em conferência de imprensa, que decorreu recentemente na Câmara Municipal de Lisboa, a nova diretora das feiras ARCO de arte contemporânea da IFEMA – Feria de Madrid, Maribel López, realçou que  a criação de um foco em África nesta 4.ª edição mostra que o certame “está atento ao mundo da arte”.

“Neste momento, a produção artística de África está a despertar um grande interesse, e Portugal é uma plataforma importante de acesso ao continente”, justificou a curadora, que substituiu o anterior diretor, Miguel Urroz.

A nova secção especial África em Foco, contará com seis galerias, a Afriart (Kampala, Uganda), Arte de Gema (Maputo, Moçambique), Jahmek (Luanda, Angola), Momo (Cidade do Cabo, África do Sul), Movart (Luanda, Angola), e This is not a White Cube (Luanda, Angola).

Durante o certame, decorrerão ainda uma série de conferências centradas na arte contemporânea da África, com a participação de figuras como Raphael Chickukwa e Azu Ngagbogu.

A organização do certame avança ainda que outras exposições da ARCOlisboa 2019 darão voz a artistas internacionais, designadamente a artistas africanos na exposição Diversidade Comum, acolhida pelo NOT-A-MUSEUM.

A ARCOlisboa abre no dia 16 de maio, quinta-feira, e 17 de maio, sexta-feira entre as 14h00 e as 21h00; no dia 18, sábado, entre as 12h00 e as 21h00; e no domingo, dia 19, das 12h00 às 18h00. A entrada tem um custo de 15€, com a exceção dos estudantes que pagam 5€.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de ARCOlisboa – Feira Internacional de Arte Contemporânea

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.