É, já, amanhã, dia 26 de março, pelas 18h15, que se inicia a 3ª Edição das jornadas do Teatro “Estas Jornadas não foram canceladas”. A conferência será realizada através da plataforma ZOOM e transmitida em direto no Facebook do Teatro Municipal Baltazar Dias, no Funchal. A edição será composta por duas conversas.

A primeira conversa, decorrerá entre as 18h15 e as 19h30, e contará com a participação de vários diretores de teatros nacionais que irão debater o tema “Teatros: Entre o confinar e o desconfiar”. O painel do primeiro diálogo será constituído por Sandra Nóbrega, diretora do Teatro Municipal Baltazar Dias; Patrícia Portela, diretora do Teatro Viriato; Rodrigo Francisco, diretor artístico da companhia Teatro Almada; Alexandre Pascoal, administrador do Teatro Micaelense e Tiago Rodrigues, diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II.

Pelas 19h30, terá início a segunda conversa desta edição, com a temática “E depois? O que muda?”, que será abordada por artistas que lutam pela reivindicação dos direitos dos profissionais da cultura, como Teresa Coutinho, membro do núcleo da Ação Cooperativa; Luis Lobo Pimenta, ator; Amarílis Felizes, diretora da plataforma PLATEIA e Rui Galveias, coordenador do Sindicato União Audiovisual. Os sucessivos cancelamentos e reagendamentos de espetáculos, a conciliação de medidas de segurança com as especificidades da atividade artística, o surgimento de novos formatos e que impacto tem a COVID-19 na criação e programação serão os temas em discussão.

A Vereadora com o pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Funchal, Madalena Nunes, fará a abertura da sessão da 3ª Edição das Jornadas do Teatro, abordando a importância da cultura na vida dos municípios.

Texto de Isabel Marques
Fotografia disponível via Pexels