De 9 a 12 de dezembro, a “GABO” estreia no Teatro Viriato, em Viseu. O mais recente trabalho da Companhia Dançando aborda temas como a ficção e os lugares do imaginário.

A criação de Patrick Murys retrata um ser misterioso, mágico sem explicação aparente. ” É o ponto de partida para que os intérpretes se interroguem o que é ser diferente, o que é ser livre”, explica Patrick.
O artista também se estreia no contacto com a Dançando com a Diferença, sendo a sua primeira vez a trabalhar com a companhia.

Explorando o trabalho do “realismo mágico” de Gabriel Garcia Márquez, o artista afirma ainda que o espetáculo é “não narrativo, não explicativo, que sugere sensações e emoções”.

Com um nome que rapidamente se associa às marionetas e ao percorrer do palco com diferentes bailarinos, o espetáculo apresenta diferentes linguagens artísticas.

Segundo Henrique Amoedo, diretor artístico da companhia Dançando com a Diferença, ” ‘GABO’ representa para mim um ser que está em outra dimensão, que tem uma energia muito forte e própria. Tem em si, ao mesmo tempo, a força da criação e da destruição. A sua característica mais importante é a capacidade de congregar em si as potencialidades e dificuldades vindas de diferentes fontes, gerando a força para atingir novas conquistas”, partilha em comunicado.

Criado como a primeira produção infanto-juvenil da companhia, a peça é um espetáculo para todos os públicos.

A peça conta com a participação de artista como Diogo Peres com a “sua sensibilidade corporal”, o João Estrela com “o seu imaginário” e o José Pereira “com a sua magia”, intérpretes escolhidos por Patrick Murys, no âmbito de uma seleção que fez no grupo residente da Dançando com a Diferença no Teatro Viriato.

A Dançando com a Diferença é uma companhia de dança fundada em 2001, na Madeira, e que desde 2014 mantém uma relação com o Teatro Viriato como Projeto Residente.

O espetáculo conta com sessões para escolas e para público geral e terá áudio-descrição e interpretação em Língua Gestual Portuguesa, nas sessões de dia 11 e dia 12. Ainda nos mesmos dias, será apresentado o
Para além do espetáculo, também nos dias 11 e 12 será apresentado o documentário “GABO, POSSO ENTRAR AÍ?”, de Carla Augusto, que testemunha e reflete os diversos momentos de criação da GABO, a marioneta.

Os bilhetes para as sessões de 11 e 12 de dezembro podem ser adquiridos através do site (preferencialmente) ou através da BOL. Em alternativa, podes comprar o teu bilhete através do email da bilheteira.

Texto por Patrícia Silva
Fotografia da cortesia do Teatro Viriato

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.