O Centro de Estudos Ibéricos (CEI), com sede na cidade da Guarda, decidiu prolongar o prazo para as candidaturas à 16.ª edição do Prémio Eduardo Lourenço, até ao dia 30 de abril, devido à pandemia da covid-19.

“Devido às circunstancias de emergência nacional despontadas pela crise pandémica covid-19, o CEI informa que o prazo das candidaturas ao Prémio Eduardo Lourenço 2020 foi prolongado até 30 de abril”, referem os responsáveis do CEI em comunicado.

As candidaturas ao prémio, no montante de 7.500 euros, estavam inicialmente previstas para decorrerem até esta terça-feira, dia 31 de março.

A fonte esclarece ainda que as candidaturas “poderão ser enviadas em formato ‘pdf’, para o ‘e-mail’ cei@cei.pt, opção que não consta do regulamento em vigor, mas que poderá agora simplificar as candidaturas que pretendam submeter-se a concurso”.

Segundo o CEI, “qualquer instituição ou pessoa” pode enviar propostas de candidatura ao galardão “destinado a premiar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas”.

O Prémio Eduardo Lourenço, que teve a sua primeira edição em 2004, será atribuído por um júri constituído pelos membros da direção do CEI (reitores das universidades de Coimbra e de Salamanca, Espanha, e o presidente da Câmara Municipal da Guarda) e por mais oito elementos (representantes das Comissões Executiva e Científica do CEI e quatro personalidades convidadas pela direção).

Até à data, receberam o Prémio Eduardo Lourenço a professora catedrática Maria Helena da Rocha Pereira, o jornalista Agustín Remesal, a pianista Maria João Pires, o poeta Ángel Campos Pámpano, o professor catedrático de direito penal Jorge Figueiredo Dias, os escritores César António Molina, Mia Couto, Agustina Bessa Luís, Luís Sepúlveda e Basilio Lousada Castro, o teólogo José María Martín Patino, os professores e investigadores Jerónimo Pizarro, Antonio Sáez Delgado e Carlos Reis e o jornalista e escritor Fernando Paulouro das Neves.

O regulamento do Prémio Eduardo Lourenço 2020 pode ser consultado aqui.

Texto de Lusa e Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Hal Gatewood via Unsplash

Se queres ler mais entrevistas sobre a cultura em Portugal, clica aqui.