Começa hoje o 3º ciclo expositivo deste ano do Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), com a inauguração das exposições “Constelação Cutileiro” e “José Guimarães – Da dobra e do corte”, às 18h.

A mostra da obra de João Cutileiro, um dos mais singulares artistas nacionais do século passado, tem curadoria de Nuno Faria e Filipa Oliveira. O escultor, que marcou profundamente a arte portuguesa entre os anos de 1960 e 1990, teve uma grande influência na paisagem artística e cultural do país. Hoje em dia, João Cutileiro, que nasceu em 1937, reúne um grande conjunto de obras expostas um pouco por todos os cantos do mundo.

José de Guimarães, nascido no ano de 1939, é tido como um dos maiores artistas plásticos portugueses de arte contemporânea. “Da dobra e do corte”, a exposição do artista que é hoje inaugurada, junta 170 peças produzidas por José de Guimarães que permaneceram, na sua maioria, inéditas até estes dias. A obra agora exposta consiste num extenso grupo de esculturas de pequenas dimensões, feitas em cartão e papel.

Em dezembro, o CIAJG acolhe uma exposição de desenho de Rui Chafes, que se juntará às mostras hoje inauguradas. Todas as exposições permanecerão disponíveis aos visitantes até fevereiro de 2019. O Centro abre de terça a domingo, das 10h às 13h e das 14h às 19h, e tem entrada livre aos domingos de manhã.

 

Texto de Carolina Gaspar

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica aqui.