A partir do dia 19 de junho, pátios e jardins da cidade de Guimarães serão palco de vários espetáculos, agendados para os finais de tarde de sextas-feiras.

A programação do Festival Lufada arranca nos jardins do Palácio Vila Flor, com a atuação dos The BJazz Choir. Nessa mesma noite, do dia 19 de junho, haverá ainda uma visita ao Centro Internacional das Artes José de Guimarães, com acesso a espaços normalmente vedados e a peças que não estão usualmente expostas. O Palácio será ainda palco para António Alvarenga e Leonor Barata, com a performance “Madame: Conversas privadas em espaço público”, e para o músico Benjamim, no dia 26.

Em julho os espetáculos ao vivo continuam com a exibição do filme-concerto de Rodrigo Areias – “Surdina”, o concerto de Minta & The Brook Trout e a performance do pianista Pedro Emanuel Pereira. Durante estes dois meses, o festival tem ainda agendadas inúmeras oficinas em áreas como tapeçaria, artes plásticas, artes visuais e fotografia.

Segundo o diretor executivo de A Oficina, Centro de Artes e Mesteres Tradicionais de Guimarães, Ricardo Freitas, este será “um momento muito especial”. “Será um desconfinamento responsável e gradual, com medidas de segurança, bem-estar e conforto, para que seja possível esquecer a pandemia”, referiu em conferência de imprensa.

Após a “Lufada” está previsto o “Vendaval”, com chegada marcada para setembro. Com dois espetáculos já agendados o “Vendaval” irá assinalar os 15 anos do Centro Cultural Vila Flor (CCVF). Teresa Salgueiro atuará num concerto com a Orquestra de Guimarães e, em estreia absoluta, Tiago Rodrigues, diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II, apresenta a peça “Catarina e a beleza de matar fascistas”.

Podes consultar a programação aqui.

Texto de Bárbara Dixe Ramos
Fotografia disponível em Pixabay

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.