A 5ª edição do Guiões – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa vai decorrer no Cinema São Jorge e na Universidade Lusófona, no dias 28 e 29 de março. De debates e masterclasses a um concurso, o festival é um elogio à escrita de guiões — sejam eles de que género forem.
O Guiões surgiu com o objetivo de se estabelecer como “um essencial ponto de contacto entre os guionistas/roteiristas de Língua Portuguesa e os agentes, produtores, realizadores e investigadores que poderão dar sequência ao material criado.” Edição após edição, trabalha no sentido de resolver “os baixos índices de criação e de produção cinematográfica em Língua Portuguesa” e combater algumas das dificuldades que gulosinas e roteiristas encontram no seu caminho, nomeadamente na falha de comunicação entre estes e os agentes, produtores, realizadores e investidores.

Video-reportagem do Guiões, em 2016

O júri do concurso de guiões, composto por André Novais Oliveira, Mariana Tesch-Morgon, Paolo Marinou-Blanco e Thais Fujinaga, escolheu 10 finalistas, que podes consultar no fim deste artigo. O prémio para o grande vencedor será a isenção de taxa de participação do DRAMA.PT 2019 (valor aproximado de 1000€), a isenção de taxa de participação no PLOT – Professional Script Lab 2020 (valor aproximado de 500€), o Prémio World Academy (que se reflete num voucher de formação no valor de 500€), o serviço de Script Doctor por Bill Labonia (valor aproximado de 200€) e um curso criativo online à escolha, da Navega – Rotas Criativas (valor aproximado de 150€). Haverá ainda prémios comuns a todos os finalistas, e outros apenas para os três primeiros classificados.
Além dos debates e masterclasses nos dias 28 e 29, estão marcadas oficinas para os dias 30 e 31 de março. Com uma perspetiva abrangente, o Guiões criou uma base de dados com guiões em Língua Portuguesa que podes consultar aqui, e tem um podcast que podes ouvir aqui. Sabe mais sobre o festival, aqui.
O grupo de finalistas é composto por:
  • “Alternativa D”, de Letícia Fudissaku
  • “Augusta & Kátia”, de Lud Mônaco
  • “Blush”, de Rodrigo de Vasconcellos
  • “É Lá Que Eu Quero Morar”, de Mariana Carrara
  • “Na Minha Própria Pele”, de Rafael Santos
  • “O Rio”, de Wislan Esmeraldo, Victor Costa e Mariana Nunes
  • “Pantanal VR”, de Thiago Foresti
  • “Pescadores de Nuvens”, de Lucas Calmon, Thiago Amendoeira e JC Feyer
  • “Uma Linha de Cor Invisível”, de Helena O. Ferreira
  • “Zumbido”, de Thiago Foresti
Texto de Carolina Franco
Fotografia de Guiões disponível via Facebook
O Guiões e o Gerador são parceiros

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.