A Fundação Calouste Gulbenkian irá atribuir pela primeira vez este ano, o Prémio Gulbenkian para a Humanidade. No valor de um milhão de euros, este prémio pretende distinguir pessoas ou organizações de todo o mundo que se têm evidenciado no combate à crise climática.

O prémio, cujas nomeações decorrem até 24 de março, vai ser entregue no dia 20 de julho, anunciou a instituição em comunicado. “A criação deste Prémio vai de encontro a uma das missões centrais da Fundação Calouste Gulbenkian: apoiar o desenvolvimento sustentável, promovendo ativamente o bem-estar e a qualidade de vida de grupos vulneráveis da população, em equilíbrio com a proteção ambiental e a prosperidade económica”, acrescentam.

São aceites nomeações relativas a contribuições para a redução de emissões de gases com efeito de estufa, para aumentar a resiliência aos impactos das alterações climáticas e angariação de fundos públicos ou privados para descarbonizar a economia.

A seleção dos nomeados será feita por um júri externo dividido num Grande Júri presidido pelo ex-Presidente da República Jorge Sampaio e por um Comité de Especialistas presidido pelo cientista Miguel Bastos Araújo.

A decisão final ficará a cargo da Fundação Calouste Gulbenkian, com base na proposta apresentada pelo Grande Júri a partir de uma short list selecionada pelo Comité de Especialistas. Todas as nomeações devem ser submetidas em formato eletrónico através do formulário disponível no site https://gulbenkian.pt/fundacao/premios/premio-gulbenkian-humanidade/.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de de Sheila Thomson via flickr

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.