Joana Senra e António Ferreira são dois jovens bailarinos portugueses e estão, neste momento, a competir na 47ª edição do Prix de Lausanne, na Suíça. Com um total de 363 candidatos vindos de 40 países, Joana e António ficaram entre os 80 selecionados, num grupo composto por 44 raparigas e 36 rapazes. 

No total, foram 10 os jovens portugueses a concorrer entre os 363 candidatos. Inicialmente foram três os bailarinos selecionados mas o terceiro elemento, José Pedro Costa, teve de desistir do concurso por causa de uma lesão. Tal como os colegas que se encontram a competir, José é aluno da Escola de Dança do Conservatório Nacional. 

O júri desta edição reune Carlos Acosta, presidente do prémio e da Carlos Acosta International Dance Foundation; pelo vice-presidente, Iván Gil-Ortega; pelo antigo bailarino principal do American Ballet Theatre Gillian Murphy, Julio Bocca; pela diretora artística do Finnish National Ballet, Madeleine Onne; pelo diretor da New Zealand School of Dance, Garry Trinder; pelo diretor artístico do Ballet Nice Méditerranée, Éric Vu-An; pelo diretor do Holland Dance Festival, Samuel Wuersten; e pela consultora artítica da Companhia Nacional de Bailado do Japão, Miyako Yoshida. 

Em 2015 Miguel Pinheiro, na altura estudante da Escola de Dança do Conservatório Nacional (EDCN) e com 17 anos, foi premiado na competição, na categoria de dança contemporânea. No mesmo ano o japonês Ito Mitsuro, colega de Miguel na EDCN, também foi apurado para a fase final e acabou por ficar em segundo lugar. Também Teresa Dias, Alice Pernão e Francisco Patrício participaram em 2015.

Miguel Pinheiro no Prix de Lausanne de 2015

Ito Mitsuru no Prix de Lausanne de 2015

Qual é a missão do Prix de Lausanne

A competição abre todos os anos para jovens bailarinos de qualquer nacionalidade, que ainda não sejam profissionais, e tenham entre 15 e 18 anos. O objetivo é destacar os melhor bailarinos de todo o mundo e abrir portas no seu futuro, através da atribuição de bolsas de estudo em prestigiadas escolas e companhias de bailado. 

Entre outras coisas, o Prix de Lausanne quer incentivar os mais novos a pensarem a longo prazo, promovendo uma formação académica paralela à dança, que lhes permita mais tarde arranjar emprego com maior facilidade, uma vez que a estimativa de uma carreira em dança começa nos 18 anos e termina nos 38.

Segundo os objetivos discriminados no site oficial, pretende ainda alertar para questões que tenham a ver com a saúde dos participantes, fazendo testes aos hábitos alimentares e índice de massa corporal antes da competição. 

Como surgiu o Prix de Lausanne

Corria a Primavera de 1972 quando, junto a uma piscina em Cannes, Philippe Braunschweig, Elvire Braunschweig e Rosella Hightower começaram a esboçar o seu projeto de lançar uma competição para jovens bailarinos. Queriam que acontecesse em 1973, no ano seguinte. Maurice Béjart e Rosella Hightower ofereceram-se para ceder como prémios bolsas de estudo nas suas escolas de dança. A Maurice e Rosella juntou-se Michael Wood, da Royal Ballet School, com apoio financeiro e Barbara Fewster para integrar o júri. 

O primeiro Prix de Lausanne aconteceu entre os dias 19 e 21 de janeiro de 1973, no Théâtre Municipal de Lausanne. Atualmente é gerido pela Fondation en Faveur de l'Art Chorégraphique.

Sabe mais sobre a história do Prix de Lausanne, aqui

Texto de Carolina Franco
Fotografia de Joy Real via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.