O Hangar – Centro de Investigação Artística reabre as portas no dia 25 de setembro com o projeto “The Skull of the Haunted Snail” da artista Andreia Santana.

Com curadoria de Bruno Leitão, “The Skull of the Haunted Snail” resulta da investigação da artista Andreia Santana sobre artefactos encontrados em túmulos do Antigo Egipto. Chamados “Casas da Alma”, estes eram moldados em argila e utilizados como tabuleiros para oferendas de alimentos aos mortos.

Nesta exposição a artista reflete sobre a condição do artefacto em constante mutação, apresentando uma instalação de esculturas em vidro, criadas por Santana na Marinha Grande especificamente para este projeto. “Descontextualizados da sua função histórica e de classificações museológicas, estes objetos passam a albergar e a prolongar outros tipos de existência no futuro, permitindo novas possibilidades de entendimento da história, da cultura e da coexistência interespécies”, lê-se em comunicado.

A artista plástica, que em março de 2021 inicia um programa de itinerâncias com este projeto, afirma que “artefactos, objetos, lugares, seres vivos e entidades – e, consequentemente, a própria história – devem ser vistos como material potencialmente animado e vivo que possui uma essência espiritual distinta (exatamente como os egípcios os viam), em prejuízo de um olhar estagnado sobre conhecimentos obsoletos e objetos conservados num vácuo interpretativo”.

Local: Hangar, Rua Damasceno Monteiro 12, Lisboa
Horário: De quarta a sábado, das 15h às 19h
Preço: Gratuito

Fotografia do “The Skull of the Haunted Snail”, cortesia da artista e da galeria Filomena Soares