O Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP) do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa (ULisboa) encontra-se a desenvolver um estudo que pretende mapear o território cultural e artístico em Portugal, com vista a contribuir para o diagnóstico da sua heterogeneidade e territorialização.

A iniciativa está inserida no projeto “Políticas da Cultura e Planeamento Cultural”, coordenado por Paulo Castro, e inclui dois questionários: um direcionado a artistas, autores, pessoal técnico, administrativo e de mediação ligado às artes, cultura e eventos; e outro destinado a entidades que de alguma forma se relacionam com essas mesmas áreas. Os inquéritos estão disponíveis aqui.

Saber quantos são, quem são e onde estão os profissionais dos setores culturais e artísticos; identificar as diferenciações no setor de forma a fazer propostas para uma melhor classificação das profissões nestas áreas; e abrir caminhos de investigação, consultoria e formação que possibilitem uma maior inter-relação entre os sectores da cultura e a Universidade são alguns dos principais eixos do projeto que começou a ser desenvolvido há cerca de um ano.

Na primeira fase, esse trabalho passou pela realização de muitos pré-testes com profissionais independentes, mas também por várias reuniões com estruturas como a Acção Cooperativista e a Convergência com a Cultura, além da SPA. De acordo com o jornal Público, o Instituto da Universidade de Lisboa solicitou a parceria do Ministério da Cultura, mas ainda está à espera da resposta.

Os resultados do questionário lançado na passada quinta-feira, 17 de fevereiro, deverão ser conhecidos num prazo de seis meses.

Texto por Flávia Brito
Fotografia via Pixabay

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.