Hoje foi anunciado que o Instituto Gulbenkian de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, venceu o Prémio Acesso Cultura Linguagem Clara 2020, com a exposição “Science Alive”.

“O Instituto Gulbenkian de Ciência apostou em despertar o interesse pela ciência no turbilhão do NOS Alive. Quem escreveu o texto vencedor do Prémio Linguagem Clara 2020 sabia que apenas ia ter breves momentos para captar a atenção de um público sujeito a tantos outros estímulos. Por isso, usou algumas das regras fundamentais da escrita clara: adequação ao público-alvo e à situação, palavras conhecidas, frases e parágrafos curtos, e um grafismo agradável à vista”, pode ler-se na justificação do júri, composto por Hugo Sousa, Joana Lobo Antunes e João Martins”, citada pela Lusa.

A leitura rápida, acessível e eficaz valeu a distinção da associação cultural Acesso Cultura, que trabalha questões de acessibilidade nas arte e premeia as entidades que demonstrem boas práticas neste sentido.

Texto de Raquel Botelho Rodrigues e Lusa
Fotografia de Sheila Thomson via flickr