A Fundação de Serralves e o coreógrafo, performer e investigador João Fiadeiro assinaram ontem, dia 30 de junho, um contrato de doação do Arquivo Atelier|RE.AL, que conta com aproximadamente quatro mil títulos, entre textos, vídeos, áudios, imagens, artefactos, entrevistas, artigos de jornal e críticas.

A doação à Fundação de Serralves do espólio até então pertencente a João Fiadeiro, um nome referencial da dança portuguesa e europeia, permitirá ao Museu de Serralves, através do Serviço de Artes Performativas, "ampliar as possibilidades de pesquisa, de divulgação e apresentação de um dos mais importantes exemplares de arquivos de dança internacionais", avança a organização, em comunicado de imprensa.

O museu, "pioneiro na transdisciplinaridade, no constante cruzamento entre as artes visuais e as artes performativas", pretende assim reafirmar o seu papel enquanto plataforma central das artes performativas no contexto internacional e também como lugar de memória e de produção de conhecimento.

"O Arquivo RE.AL será um importante pilar e fonte de conhecimento para a reconstituição de uma história das artes performativas, área a que a Fundação de Serralves está ligada desde a sua inauguração", pode ler-se. "Através da organização de exposições temporárias e itinerantes, a apresentar junto de teatros e centros coreográficos em Portugal e no estrangeiro, este importante arquivo de grande valor artístico e científico, representativo da memória coletiva de um país e da sua cultura performativa, irá adquirir uma nova vida, permitindo renovadas leituras dos seus documentos."

O espólio, agora doado a Serralves, permite conhecer e investigar em profundidade um ciclo ininterrupto de atividade e programação de 29 anos, fundamental para a dança, em que se destacam documentos relativos às criações de João Fiadeiro (1990-2019), às criações dos artistas associados do Atelier|RE.AL –  Cláudia Dias, Tiago Guedes e Gustavo Sumpta (2001-2009) –  e à programação de projetos de cariz laboratorial e experimental, desenvolvida pela REAL, ao longo dos últimos 30 anos, reforçando desta forma o acervo de arte contemporânea de Serralves.

Fundado por João Fiadeiro, em 1990, no início de uma década fundamental para a dança portuguesa, o ATELIER RE.AL apresentou-se, ao longo de três décadas, com regularidade um pouco por toda Europa, Estados Unidos, Canadá, Austrália e América do Sul, acompanhado e apresentando artistas emergentes, acolhendo residências de artistas e promovendo eventos transdisciplinares.

"A doação do Arquivo Atelier|RE.AL à Fundação de Serralves, que agora se concretiza, é reveladora do atual potencial de fixação em Serralves de novos espólios artísticos de impacto internacional e do investimento que a fundação faz, no sentido de reforçar a sua coleção, através de novas aquisições e do acolhimento de novos importantes acervos de arte e espólios artísticos, por doações e depósitos", lê-se também.

A Fundação de Serralves é já detentora de uma coleção de arte de grande relevância internacional, que integra obras de sua propriedade e obras em depósito de longa duração, provenientes de várias coleções públicas e privadas. A instituição possuiu também uma das mais importantes coleções de livros e edições de artista da Europa e detém outros relevantes acervos e arquivos na área das artes plásticas, do cinema e da arquitetura.

Texto por Flávia Brito

Se queres ler mais sobre o interior de Portugal, clica aqui.