Começa hoje a 6.ª edição do Topografias Imaginárias, um ciclo de cinema que, além do visionamento, conta ainda com comentários. O evento inicia-se este sábado, dia 28, e prolonga-se por quatro meses, com um filme a ocorrer a cada mês: 19 de outubro, 9 de novembro e 7 de dezembro. A entrada é gratuita e a organização ficou a cargo do Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca, em parceria com o Ifilnova - Instituto de Filosofia da Nova.

Nesta edição, o objetivo do ciclo de cinema é compreender o papel do som, com o tema de “Sinfonia Urbana”. Como se pode ler na apresentação do evento, “pretende-se pensar a cidade na relação com a sua atmosfera sonora e musical, como o cinema veicula uma certa imagem sonora de Lisboa, analisando, ao mesmo tempo, o papel das várias sonoridades na apresentação e constituição de uma expressividade que é reconhecida como sendo a desta cidade”.

Para aproximar os espectadores, o visionamento e comentário de cada filme serão feitos no respetivo local onde foi filmado, percorrendo, assim, a capital. Hoje, dia 28 de setembro, o ciclo inicia-se com o filme “Lisboa, Crónica Anedótica”de José Leitão de Barros. De destacar ainda, nesta sessão, o lançamento do livro Um Mapa de Lisboa no Cinema. A 19 de outubro, é a vez de “Belarmino”, de Fernando Lopes ser exibido. Segue-se “Kilas, O Mau da Fita”, de José Fonseca e Costa, no dia 9 de novembro e, por fim, “A Janela (Maryalva Mix)”, de Edgar Pêra, tem dia marcado para 7 de dezembro.

Texto por Gabriel Ribeiro
Fotografia de Augusto Oazi via Unsplash 

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica aqui.