Esta semana, nos dias 29 e 30 de julho, o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, recebe um workshop do artista plástico André Guedes.

A partir de uma visita ao Percurso Secreto da Central Tejo, o artista propõe três momentos para este workshop: visionamento de fragmentos cinematográficos sobre a atividade industrial; um percurso conduzido por áreas técnicas da central elétrica; e um exercício de transposição por desenho, colagem e/ou textos, de diferentes aspetos que interpelam a nossa experiência do lugar, da sua história e vivências.

"Quando uma fábrica é desativada e convertida em museu, que vida podemos encontrar nesse lugar? Que memórias o espaço preserva e que o tempo transporta; que novas realidades podemos hoje construir sobre ela", pode ler-se na apresentação do workshop, que terá um máximo de 15 participantes.

Este será o primeiro workshop de um ciclo mais alargado que até outubro irá levar diversos artistas aquele museu, através do qual se pretende criar um diálogo entre artistas, o público e a arte contemporânea.

Sob o tema da "verdade", os artistas irão lançar desafios teóricos e práticos numa lógica de experimentação e de partilha de conhecimento. O público irá contactar com o processo de trabalho, de pesquisa e de produção do artista. Estes programas serão também acompanhados por uma conversa aberta ao público acerca das experiências do artista.

Fotografia do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT)