O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) e a Embaixada de Portugal na Alemanha inauguram, a 26 de abril, uma nova exposição na galeria do Instituto Camões em Berlim, apresentando este ano o trabalho da artista portuguesa Ana Guedes (Braga, 1981).

Com curadoria de Joana Valsassina, a exposição inédita da artista portuguesa explora crónicas de êxodo e privação associadas à sua história familiar e ao passado colonial português, ao conjugar som, instalação e performance, interligando temporalidades e narrativas históricas e autobiográficas.

A mostra individual intitula-se On recurrences: 7.º Volume. Edição nº 13 007/1448. 30’07’, e “cria um intrigante mecanismo de reverberação e ampliação de som composto por gira-discos sincronizados, uma estrutura modular de ressonância, favos de abelha, e pelo próprio espaço expositivo, tornando-o parte integrante da sua instalação sonora”, de acordo com a descrição do MAAT.

Este é o quarto ano da parceria entre o MAAT e a Embaixada de Portugal em Berlim, que apresenta anualmente o trabalho de jovens artistas portugueses na capital alemã, no âmbito do Berlin Gallery Weekend.

Ana Guedes foi uma das artistas finalistas do prémio EDP Novos Artistas 2017, tendo recebido uma Menção Honrosa pelo trabalho apresentado. Depois de mostras individuais de André Romão, Nuno da Luz e Igor Jesus, a Fundação EDP volta a reforçar o seu apoio à arte contemporânea portuguesa e à sua divulgação internacional.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia cedida pelo Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT)

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.