Ao longo do mês de maio, Lisboa é invadida por marionetas gigantes, sombras com as mãos, retratos em movimento, entre outras performances que fazem parte da programação do FIMFA Lx – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas. O evento ocorre de 9 a 26 de maio em vários locais da capital portuguesa.

A programação para o FIMFA deste ano foi apresentada no São Luiz Teatro Municipal e contou com a presença de Rute Ribeiro e Luís Vieira, a direção artística do FIMFA e d’ATarumba – Teatro de Marionetas, que revelaram as novidades e destaques desta edição.

“O FIMFA vai se espalhar pela cidade de Lisboa e vai abrir, este ano, no Castelo de São Jorge”, começou por realçar Rute Ribeiro, dando nota também do encerramento que terá lugar no São Luiz, com o espetáculo Vies de Papier do grupo francês La Bande Passante, que reflete sobre a persistência da memória associada aos acontecimentos da Segunda Guerra Mundial.

De acordo com os responsáveis, a abertura do festival conta um espetáculo das Marionetas Gigantes de Moçambique que, para Luís Vieira, funcionará como um “porto de honra com vista sobre a cidade e com muita animação”.

Depois desta abertura, o festival continua por mais 18 dias, com a apresentação de cerca de 22 companhias de artista provenientes de 12 países, dos Estados Unidos da América ao Irão, passando por Reino Unido, Espanha e França.

As diversas apresentações decorrem, este ano, em dez espaços da cidade: Castelo de São Jorge, São Luiz Teatro Municipal, Teatro Nacional D. Maria II, LU.CA – Teatro Luís de Camões, Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, Teatro da Trindade, Teatro do Bairro, Teatro Taborda, Museu Nacional do Teatro e da Dança e Cinemateca Portuguesa.

Além da programação, a organização do evento deu ainda conta da primeira edição do Prémio de Mérito Cultural Henrique Delgado. João Carneiro, jornalista e crítico de teatro, foi anunciado como vencedor em pleno Dia Internacional da Marioneta.

Esta distinção, com periodicidade bianual, visa reconhecer personalidades, estruturas ou instituições que tenham desenvolvido um trabalho considerado determinante na arte da marioneta.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de Vírgilio Santos

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.