João Mota é Et Toi Michel, um projeto que nasce de algumas canções antigas que o artista quis recuperar, apresentando-as a solo e num formato inspirado no contexto das artes cénicas.
Depois do lançamento dos singles "A Montanha" e "Canção de outra invenção" em 2020, apresenta "Ladrões no Pomar" num registo entre a música de intervenção portuguesa e a folk, que reflete sobre o momento político e social que o país e o mundo atravessam.
O seu álbum de estreia estará disponível no final de 2021.

Esta é a lista de 10 músicas de autores portugueses que o artista partilhou connosco com algumas notas que justificam as suas escolhas:

"Não sei se tenho muito jeito para escrever sobre a música dos outros. Provavelmente, nem tampouco sobre as minhas. Mas confesso-me fã destes pequenos desafios. Assim seja."

Zeca Medeiros – "Casca de Banana"

"Um clássico do genial e pitoresco Zeca Medeiros, ao qual regresso recorrentemente. Letra sempre actual e vitamina obrigatória para tomar em ano de eleições ou em tempos mais escorregadios."

A Garota Não – "Mediterrâneo"

"Um dos meus temas preferidos desta amiga e conterrânea. Nunca lhe digo o quanto gosto de a ouvir por temer envaidecê-la. Os grandes querem-se a pensarem-se pequenos. Pessoalmente, a cantora e letrista que mais me surpreendeu na música portuguesa nos últimos anos."

O Gajo – "Cidade Fantasma"

"Assisti há muito pouco tempo a um concerto do último disco do João Morais. Além do acompanhamento de luxo de José Salgueiro e de Carlos Barreto, é notório o trabalho de composição e arranjos em torno de um instrumento, à partida tão limitado. O simples engana e o Gajo consegue pintar paisagens brilhantes de infinitas geografias com a viola campaniça."

B Fachada – "Natureza Radical"

"Descobri-o tarde, anos depois do grande “boom fachadesco”. Aprendi a gostar demoradamente. Certo é, que sempre que demoro a digerir alguma coisa, acaba por se tornar numa espécie de iguaria. Sou um bocado neofóbico, mas também me deixo conquistar facilmente pela qualidade."

Saturnia - "Fibonacci Numbers"

"Não acredito que exista de momento alguém em Portugal a representar melhor o psicadelismo do que o Luís Simões. Tenho a sorte de o conhecer e de me ter enviado pessoalmente todos os discos de Saturnia. Amizades à parte, cada disco e cada tema são uma viagem que precisa de tempo e de alguma eternidade de entrega interna. Sendo que viajar é preciso, apanho-me muitas vezes neste avião a saltitar no tempo e nos universos possíveis destas canções espirais."

Club Makumba – "Med Swing"

"Como fã assumido de Dead Combo, não tomei de leve quando anunciaram o fim do projecto. Felizmente para mim (e para a música portuguesa, acho eu), o Tó Trips juntou-se a estes músicos fantásticos para criar este Club Makumba. “Med Swing “ foi o primeiro tema que ouvi e ao qual fiquei imediatamente preso. O ouvido tem memória e gosta de se sentir em casa."

Museum Museum – "By the end"

"É sempre difícil escrever sobre amigos. Corre-se o risco do elogio fácil e de alguma clubite. Sou muito próximo da Marta Banza e do Miguel Reis (Aka Tio Rex) e provavelmente tenho pouco a acrescentar ao que já lhes tenho dito sobre a sua música ao longo desta bonita amizade. Mas Museum Museum mostrou-me algo que não sabia sobre eles. A extrema sensibilidade das canções do seu EP de estreia levaram-me a renovar votos e querer ouvi-los ainda mais. Espero ouvir novas canções em breve."

Loosense – "Capitol"

"Esta enorme família, também setubalense (perdoem-me por puxar tanto a brasa a esta sardinha), para além de numerosa abunda em coragem e talento. Não são tempos fáceis para o consumo de temas com oito minutos. Não são tempos fáceis para o Jazz e muito menos para o Jazz de fusão. Mas essa coragem faz dos Loosense uma promessa necessária no panorama musical português. Nunca fui grande melómano, mas corro atrás do que gosto e sou menino para suar bastante ao longo do percurso desta banda."

Luta Livre – "Sushi era no Japão"

"Luís Varatojo, é Luís Varatojo. O dito pelo dito pode não querer dizer nada, mas neste caso quer dizer tudo. Destetrizando, esta Luta Livre caiu-me no colo do ouvido como algo fresco feito por gente que já disse tudo vezes e vezes sem conta. Ainda assim a palavra sai à rua e desafia ao combate. A luta continua! Mas a luta também dança, também sabe rir dela própria e apresenta-se em todas as cores."

José Afonso – "De não saber o que me espera"

"Escolhi terminar esta Mescla da Semana com Zeca. Não me atrevo a escrever nem sobre o tema nem sobre autor. Assumo sem nuances o endeuseficamento que lhe faço. E sempre que posso, espalho o evangelho."

Todas as segundas sintoniza no site Gerador e descobre as Mesclas aqui.

Fotografia de Helena Tomás
gerador-mescla-et-toi-michel