Cantor, compositor, letrista, contista e dramaturgo, JP Simões edita álbuns desde 1995, com Pop Dell’Arte, Belle Chase Hotel, Quinteto Tati e a solo ou em colaboração com outros compositores. O seu último álbum em nome próprio, “Roma”, foi editado em 2013 e mereceu uma longa digressão nacional e internacional. Em 2016 lançou “Tremble Like a Flower”, em nome do seu alter-ego “Bloom”. Vimo-lo numa passagem arrepiante e meteórica no Festival da Canção. Dele diz-se que é um poço de reinvenção, pois tanto muda o nome, a língua, as referências e o estilo musical de um projeto ao outro. Arrepiante, errante e um exímio contador de histórias, JP Simões tem a graça na voz e na guitarra e um repertório que atravessa alguns dos momentos chave das últimas décadas da música portuguesa.

Festival A Porta está de volta a Leiria entre os dias 14 e 23 de junho para uma quinta edição que promete expansão e a apresentação de novas propostas artísticas. Dos vários nomes que compõem a programação, JP Simões é um deles. É já no dia 19 de junho que JP Simões sobe ao palco do Teatro José Lúcio da Silva, mas para já podes ficar com a seleção de 10 músicas de autores portugueses que ele partilhou connosco:

Francisco de Lacerda, Almourol
Carlos Seixas, Harpsichord concerto in a major
Joly Braga Santos, Aria I Opus 2
António Fragoso, Nocturne in Db maior
José Valente, AKA
Pop Dell’Arte, O amor é um gajo estranho
Norberto Lobo, Mudar de bina
Mikado Lab, 300 pares de sapatos
GNR, Hardcore
Mão Morta, Oub’Lá

Fotografia de Vera Marmelo
O Gerador é parceiro do festival A Porta

Se queres ouvir mais Mesclas da Semana, clica aqui.