Sob o alter-ego de Krake, Pedro Oliveira recolhe inspiração na mitologia nórdica para se aventurar a solo num projecto que, partindo da percussão, explora uma linguagem mais experimental e electrónica. Expandindo os seus tentáculos para além da bateria preparada, as sonoridades vão crescendo em camadas, criando um ambiente obscuro e cinematográfico. Tem como bandas activas os peixe : avião, Dear Telephone e OZO e integra frequentemente os projectos Old Jerusalem e Osso Vaidoso, nas suas apresentações ao vivo.

Desde Maio deste ano, incorpora o Mods Collective, colectivo variável que tem na música improvisada e no cinema as suas premissas. Krake vive desde 2016, alimentando-se de experimentações solitárias e bebendo de influências como Will Guthrie, Ches Smith, Steve Noble, Chris Corsano, Julian Sartorius e Jaki Liebezeit. Recentemente, Pedro une-se à designer de moda Carla Pontes para criar o espectáculo KRAKE T_XT_R_L, que junta o imaginário sombrio da música de Krake com as intrigantes texturas da artista plástica Joana Patrão.

O Krake esteve na 11ª edição do Milhões de Festa, que aconteceu de 6 a 9 de setembro na Praia Fluvial de Barcelos. O Milhões de Festa 2018 apresentou música sem limitações genéricas, desde o pop ao metal, favorecendo a difusão de sons provenientes de todos os cantos do mundo e também os cruzamentos entre eles.

Estas são as 10 escolhas da música portuguesa que o Krake partilhou connosco:

Linha Turva – Três Tristes Tigres

Sempre foram uma das maiores inspirações para eu criar música.

Zip Zap Woman – Pop D’ell Art

Lembro-me de ser um puto a colar no disco Sex Symbol e nas avarias do João Peste.

AUM – Mão Morta

Sempre que os ia ver ficava louco da cabeça.

À sombra desta pirâmide – Mler ife Dada

Porque uma boa dança cai sempre bem, principalmente se for de uma banda portuguesa dos anos 90.

Opera – Telectu

Valia tudo… e ainda bem….era uma retro escavadora a abrir caminho.

Limousine in the Desert – Paisiel

A melhor banda que descobri nos últimos tempos, roots à força toda…

Antes era assim – Blac Koyote

Um grande compositor e um manipulador de electrónicas super talentoso.

AFG – Sensible Soccers

Um percurso invejável e um caminho estético quase único. Grandes em qualquer lado.

Pifarinho – Bfachada

Porque foi abrindo caminho para todos os outros a quem eu carinhosamente chamo de B’s Fachadas.

Carpa – Black Bombaim & La La La Ressonance

São da minha terra e são duas bandas incríveis com percursos distintos. Uma simbiose sonora incrível.

Fotografia de Sara Borges
O Gerador é parceiro do Milhões de Festa

Se queres ouvir mais Mesclas da Semana clica aqui.