Luca Argel (Rio de Janeiro, 1988), é formado em música pela UNIRIO e mestre em Literatura pela Universidade do Porto. É vocalista e compositor dos grupos “Samba Sem Fronteiras”, "Orquestra Bamba Social" e "Ruído Vário", este último em parceria com a cantora Ana Deus.

Tem livros de poesia publicados no Brasil, em Espanha e em Portugal, um dos quais foi semifinalista do Prémio Oceanos 2017. Assina a rubrica semanal "Samba de Guerrilha", na Rádio Universitária do Minho.

Em 2016, lançou seu primeiro disco a solo, "tipos que tendem para o silêncio" e, em seguida, "Bandeira", considerado pelo site Embrulhador como um dos melhores lançamentos da música brasileira em 2017. O seu último trabalho a solo, "Conversa de Fila", aprofunda ainda mais a linha de trabalho focada na linguagem do samba. No dia 20 de outubro, leva-o ao palco do Teatro Trindade INATEL, em Lisboa, e, no dia 22 de novembro, ao do Auditório CCOP, no Porto.

Fica com a sua seleção de 10 músicas, aqui:

"Queixa das Almas Jovens Censuradas", José Mário Branco / Natália Correia

"É uma das letras mais fortes que já ouvi, tanto que escolhi este tema para fazer uma versão no disco-tributo ao José Mário Branco que saiu no ano passado."

"O Navio Dela", Manel Cruz

"Manel Cruz é o meu compositor português favorito. Podia ter escolhido qualquer uma, calhou esta. Um abraço pro Manel Cruz."

"Galinhas do Mato", Zeca Afonso

"As canções geralmente me ganham pelas letras, mas este tema do Zeca Afonso tem qualquer coisa que me fascina, mesmo sem letra. Quer dizer, mesmo com uma letra de três sílabas apenas... Nai nai ni nooo..."

"Troubadour", Lula Pena

"Não sei bem como classificar este trabalho da Lula Pena, se é uma única grande canção, ou se são várias canções metidas umas dentro de outras... Mas é dos trabalhos poéticos mais preciosos que conheço."

"Morro na Praia", Capitão Fausto

"Ouvindo Capitão Fausto descobri que ainda estava vivo algures dentro de mim o jovem roqueiro que já fui um dia."

"Lenga Lenga", Regina Guimarães / Ana Deus

"Talvez por estarem nas tintas para os holofotes, ou talvez por estarem no Porto, sinto que as pessoas às vezes se esquecem como são gigantes a Regina Guimarães e a Ana Deus. As palavras de uma e a voz de outra são um tesouro da música portuguesa."

"Amor e Verdade", Luís Severo

"Fico chocado sempre que ouço esse tema e penso que o Luís Severo tinha só vinte e poucos anos quando a escreveu. É de uma lucidez tão crua e tão bela que chega a ser violenta. Conseguir equilibrar cargas tão altas de crítica política e de imaginação poética não é para muitos."

"Sou Povo", Lavoisier

"O trabalho da Patrícia Relvas e do Roberto Afonso é de uma sensibilidade brutal. Os dois não só escrevem bem, mas arranjam e interpretam maravilhosamente. Este tema fecha o meu disco favorito deles."

"Desfolhada Portuguesa", Ary dos Santos / Nuno Nazareth Fernandes

"Detesto patriotismos, mas dou o braço a torcer pra essa música que é uma obra prima."

"Canto dos Torna-Viagem", Fausto / José Mário Branco

"Não podia fechar a lista sem repetir José Mário Branco pelo menos uma vez, e acho que esta é a melhor música portuguesa que conheço. Devia ser ensinada nas escolas desde o infantário. Devia ser o hino nacional."

Fotografia da cortesia de Luca Argel
gerador-mescla-com-luca-argel