Marvel Lima são José Penacho, Diogo Vargas, Diogo Marques e Gil Amado. O projeto nasceu originalmente em 2016 nas quentes e áridas planícies de Beja.

Em 2017, surge o seu primeiro disco homónimo, Marvel Lima, e com ele o single “Fever” que alcançou o 4º lugar do top A330 da Antena 3 e marcou presença no top de Melhores Músicas Nacionais de 2017 da VodafoneFM.
Entre os vários palcos já pisados, a nível nacional destacam-se o NOS Alive, NOS em D’Bandada, Indie Music Fest e PARTY SLEEP REPEAT.

Fica com a sua seleção de 10 músicas, aqui:

Jorge Coelho, “Become the Means (feat. Francisco Silva & Hugo Raro)”

“Gosto muito de alguns guitarristas da praça como o Norberto Lobo, o Peixe ou mesmo o Filho da Mãe. O Jorge Coelho é talvez o meu preferido. Neste tema ouvimos ao fundo a voz do Francisco (Old Jerusalem), também outro grande. Este novo EP de Jorge Coelho é feito de sugestões curtas e diretas.”

Little Friend, “Sombre Song”

“Num panorama atual onde cada vez mais se procuram texturas complexas, harmonias mais ou menos ‘sofisticadas’, elementos electrónicos ruidosos, etc. este tema destaca-se pela simplicidade. Não é nada de novo, é uma boa canção à guitarra acústica que nos tempos que correm soa como uma lufada de ar fresco.”

Dear Telephone, “The First Person Ever”

“Hoje em dia já ninguém tem pachorra para solos de guitarra. 90% deste tema é um solo de guitarra lindíssimo que me faz sentir saudades de casa.”

Peixe Avião, “Peso Morto”

“Tema sónico e ao mesmo tempo sereno. Tem um efeito etéreo que me transporta para um estado de espírito saudosista.”

João Pais Filipe, “Konorak”

“João Pais Filipe é um baterista do Porto. Conhecido por bandas como HHY&The Macumbas, Talea Jacta, CZN, é um baterista que procura explorar formas diferentes de abordagem ao kit convencional de bateria. Por construir os seus próprios instrumentos, faz com que tenha uma abordagem muito própria.”

David Bruno, “Bebe & Dorme”

“David Bruno é um cantor romântico e regionalista sem qualquer problema em assumir as suas origens. As suas músicas têm tanto de groovy como de cómico. Um óptimo produtor.”

Holly Hood , “Some feat. Gson”

“Ótimo beat, samples clássicos, synths e dois barras a mandar dicas. Das malhas de hip hop tuga que tenho rodado mais.”

Maria Reis, “Odeio-te”

“Uma boa música, simples e catchy com uma abordagem estética muito fixe. Um registo mais maduro e, pessoalmente, mais interessante que o seu projeto antecessor.”

Iguana Garcia, “Os Duros”

“Bom beat inicial que dá o mote para o resto da malha: aquela estética 80’s/contemporânea que o Iguana põe nas suas músicas. Bons leads, tanto estética como melodicamente, acompanhados por uma voz grave e letra madura. Bela canção!”

André Henriques, “E de repente”

“Uma canção intimista que mostra a capacidade do André em escrever coisas bonitas e fora da esfera Linda Martini. Canção bem composta, sem arranjos muito complexos, mas que em cada layer de instrumentos se encontra um propósito bem definido, levando a um crescendo muito satisfatório para os ouvidos.”

Fotografia de cortesia de Marvel Lima
gerador-mescla-marvel-lima