Os Reis da República nasceram em 2013 às seis e meia da tarde, numa cave. Saíram da cave em 2014, quando lançaram o seu primeiro EP, e com o seu single Samurai de 2016 compraram um espaçoso T1 com jardim. Dividem o tempo entre concertos e jardinagem, sendo esta segunda atividade importantíssima para o disco que preparam agora.

Nas palavras da própria banda, sobre o novo disco: “Quisemos contar uma história que não fosse uma lição, nem uma memória de alguém que conhecêssemos. Que pudesse ser só uma boa história sobre ser-se um rato, sobre fazer-se uma escolha e, principalmente, sobre gostar de jardinagem.”

Os Reis da República, no dia 15 de fevereiro, pelas 22h, na SMUP (Parede), vão dar um concerto no Micro Clima. Este é um festival cujo objetivo é dinamizar todo o núcleo e contexto onde se insere, dando um largo destaque à música e às artes performativas. Para além da música e performance, debruça-se também sobre alguns dos problemas ambientais que nos rodeiam, em especial o plástico e seus derivados.

Estas são as 10 escolhas da música portuguesa que os  Reis da República partilharam connosco:

Arte&Oficio, O carcarejo da galinha (Live RTP 1979)

Gigantes adormecidos da música lusitana, pouco conhecidos por quem não estava vivo há 40 anos devido à perda dos masters originais. O “carcarejo da galinha” é um dos poucos temas ao qual temos acesso, aqui brilhantemente interpretado na RTP.

GAC, Ir e Vir

Gosto.

Reflexos, Bernardo Sassetti

Aqui num arranjo com baixo e bateria, esta peça é mais uma prova da sensibilidade harmónica de Sassetti.

A Noite, Carlos Paredes

Virtuoso do improviso no fado, os seus fraseios vão para além da estrutura convencional deste género.

Fausto, Como um sonho acordado

Do Álbum Por Este Rio Acima de Fausto uma obra prima num dos melhores álbuns de sempre cantado em português.

Sopa de Pedra, Adeus Ó Serra da Lapa

A maneira mais bonita de se pegar no que já se tinha.

A Presença das Formigas, Pulo do Lobo

Pulo do Lobo de A Presença das Formigas é a faixa do álbum lançado em 2014 que – para mim – caracteriza melhor o estilo deste grupo. A conjugação do bandolim e voz sobre compassos irregulares seguidas de conversas entre acordeão e guitarra fazem desta música a minha preferida do álbum. Remete nos para estilo rock progressivo alicerçada no estilo português. A banda já atuou no Gouveia Art Rock e mencionada na prestigiada Prog Magazine.

Loosense, Flamingo

Loosense é capaz de ser uma das melhores bandas portuguesas da atualidade, enquadrada no estilo jazz fusion. Esta é uma atuação da malha “Flamingo” no Sofar Lisbon que demonstra a maturidade e refinamento que compõem a banda.

Bruno Pernadas, Spaceway 70

Bruno Pernadas com Spaceway 70 e muito groove.

B Fachada, Pifarinho

Porque não se pode fazer uma lista sem o Tio B


Se queres ouvir mais Mesclas da Semana, clica aqui.