Com a voz de Adriana SáCouto, as guitarras de Luís Reis e Diogo Alves, a bateria de Pedro Gonçalves, o baixo do Rodrigo Lima e o saxofone de Luís Dias, os The Jeggas criam uma sonoridade única e extremamente versátil onde fundem o Blues, o Rock e o Soul. Lançaram o seu primeiro EP homónimo em 2016 e, desde então, cresceram juntos e desenvolveram entre eles um amor incondicional que é visível no palco, no estúdio e no dia a dia. Percurso esse que os trouxe até onde estão hoje: prestes a lançar o primeiro álbum, que promete revelar aquele que é o verdadeiro universo The Jeggas.

Fica com a sua seleção de 10 músicas, aqui:

Fausto Bordalo Dias, "Não Canto Porque Sonho"

"Uma canção que nos faz sentir à flor da pele o espírito da juventude e da ingenuidade através das palavras abstratas, mas viscerais de Eugénio de Andrade, musicadas pelo próprio Fausto e por António Pedro Braga. Cantado por Fausto Bordalo Dias, sozinho ou em dueto com Zeca Afonso, dependendo da versão (da colectânea 'Atrás dos Tempos Vêm Tempos' (1996) e do álbum 'P'ró Que Der e Vier' (1974), respetivamente), ambas são subliminares!"

André Fernandes, "Foi-se Embora"

"Dois músicos e guitarristas, Tiago Maia e André Fernandes, conheceram-se cedo no seu percurso musical, mas eventualmente separaram-se em dois trâmites distintos, o Rock e o Jazz, encontram-se nesta canção que fecha o álbum 'Cubo' (2008) de Fernandes. Maia dá a sua voz, enquanto Fernandes contrapõe com um solo de guitarra."

Clã, "Problema de Expressão"

"Com uma temática tão batida, esta canção atinge-nos em cheio, falando de problemas e sintomas que afligem qualquer portador dessa doença milenar que é o amor. Excelente letra de Carlos Tê, levada até à estratosfera pela voz de Manuela Azevedo e pela sonoridade elétrica e única da sua banda, os Clã."

Polivalente, "Touros de Morte"

"Um álbum que não pode não ser ouvido. A complexidade dos arranjos para uma 'pequena grande banda', agregados com a modernidade e extremo bom gosto do jovem músico João Valente tornam este álbum, para mim, um dos melhores de 2019."

Bruno Pernadas, "Galaxy"

"Uma faixa épica de Bruno Pernadas e do seu ensemble que nos transporta por todos os cantos do Cosmos! O equilíbrio perfeito entre o moderno e o clássico, o elétrico e o acústico, o som de big band com o do pop/rock demonstram que, para além de uma rigorosa escola e capacidade de execução, também é necessário um extremo bom gosto na escrita, na escolha dos músicos e na sua direção para arredondar tudo a uma obra concisa e marcante, cheia de melodias, harmonias, riffs, kicks e solos que nos capturam o ouvido!"

Valter Lobo, "Guarda-me esta noite"

"Valter Lobo é sinónimo de belas canções."

Jorge Reis, "Pueblos" OUVE AQUI

"As melodias e harmonias sofisticadas e labirínticas de Jorge Reis neste tema parecem remeter para um universo Shorteriano, mas é extremamente injusto negar o cunho pessoal aqui bem impresso pelo saxofonista que nos deixou bastante cedo e que, sem dúvida, passou quase despercebido na história da nossa música. É de notar os excelentes solos do próprio Jorge (saxofone) e de André Fernandes (guitarra)!"

Romeu Bairos, "Juro que já não dou nela meu amor"

OUVE A VERSÃO DO EP, AQUI

"Diretamente de São Miguel, Romeu Bairos oferece-nos o EP Cavalo Dado, misturando o blues do oeste com a música popular."

Cassete Pirata, "Pó no Pé"

"É de louvar todas as sensações e cinematografia invocadas pelos singelos, mas pitorescos versos de João Firmino. De facto, mais palavras para quê, se as imagens transmitidas por estes já valem bem mais do que mil estrofes! Excelente canção tocada por uma banda carregada de músicos exímios em todas as frentes."

Afonso Cabral, "Verso e Refrão"

“Deixa de ser um verso só
E passa a ser refrão...”

Fotografia da cortesia de The Jeggas
gerador-mescla-the-jeggas