Tomás Adrião começou a tocar guitarra como instrumento principal com apenas 10 anos, iniciando os seus estudos no conservatório aos 11. Entre as suas maiores influências, estão nomes como Beatles, David Bowie, John Mayer, James Bay, Rex Orange County, Daniel Caesar, entre outros, nunca esquecendo o jazz como uma das suas paixões. 

Teve a sua primeira banda de covers aos 13 anos, evoluindo mais tarde, aos 16, para uma segunda banda, desta feita de originais. No ano seguinte, e com apenas 17 anos, decidiu participar no “The Voice Portugal 2017”, que acabaria por vencer. Essa mesma vitória garantiu-lhe o seu primeiro contrato discográfico com a Universal Music e o início das gravações do seu primeiro álbum. Em dezembro de 2018, lançou o seu primeiro single “A Vontade” que teve uma óptima recetividade por parte do público. 

Em 2019 juntou-se à Great Dane Studios, estúdio de Mikkel Solnado, para compor e produzir o seu álbum de estreia que tem edição prevista para 2020. A 17 de Janeiro de 2020 lança o single “Perdido”, tema composto por Tomás Adrião, Tainá, Mikkel Solnado e Moisés Premoli, com produção de SUAVEYOUKNOW. 2020 começa assim com uma nova aventura para Tomás Adrião. 

A propósito da sua seleção para esta Mescla disse-nos: “Difícil era sempre escolher menos e não mais. Na Música portuguesa há muito por onde escolher, e ainda bem que assim é. Ouçam música portuguesa. Estes são apenas dez exemplos de muita música portuguesa que me tem inspirado.”

Fica com a sua seleção de 10 músicas, aqui:

“Olho de lince”, Luís severo

“Descobri Luís Severo através de um amigo, ainda no secundário. É provavelmente a razão de eu escolher cantar em português. ‘Olho de Lince’ é uma canção que não cansa, ouço-a regularmente desde a primeira vez que a ouvi.”

“Amor, a nossa vida”, Capitão Fausto
“Maria”, Tiago Bettencourt
“A gente vai continuar”, Jorge Palma

“Em 2016, comprei  o álbum   do Jorge Palma, álbum onde estava inserida esta canção, mais precisamente na quinta faixa do álbum. Ouvi-o vezes sem conta, foi e vai ser, para sempre, uma inspiração enorme.”

“Ter e Não Ter”, Cláudia Pascoal

“Pertence ao recente álbum ! Da Cláudia Pascoal. Sem dúvida, um dos melhores de 2020.”

“Cavaleiro Andante”, Rui Veloso
“Coração”, Diogo Piçarra
“Indigo”, LEFT

“Talvez o artista português que mais me tem inspirado. Vale a pena ouvir cada tema de LEFT.”

“Bem Capaz”, Filipe Karlsson

“Um artista a dar os primeiros passos na música, pelo menos em nome individual, mas que já me inspirou bastante com o EP teorias do bem estar.”

“Contas no Estrangeiro”, Janeiro

“Janeiro inspira-me muito na forma simples e sincera com que compõe as suas músicas.”

Fotografia de Carolina Santiago
gerador-mescla-tomas-adriao