Refugiados, imigrantes ou requerentes de asilo. São estes os candidatos que podem inscrever-se no novo projeto da Associação Pão a Pão. Depois do restaurante Mezze, no mercado de Arroios, em Lisboa, o curso de restauração é a nova ementa do espaço. O projeto “Mezze-Escola” pretende capacitar 20 migrantes e refugiados, especialmente mulheres e jovens, entre os 18 e os 50 anos, com o objetivo de serem integrados no mercado de trabalho.

Já há cerca de quatro anos que o restaurante Mezze emprega refugiados, na sua maioria sírios que fugiram da guerra, mas o que começou como um projeto de inclusão, com cozinha do médio oriente, vai agora tornar-se também uma escola, no setor da restauração e hotelaria. Para alcançar este objetivo, o "Mezze-Escola" conta com formações nas áreas de literacia financeira, cultural, jurídica e em higiene e segurança alimentar. Para além da formação teórica, o projeto inclui uma componente prática em contexto de trabalho. O curso é totalmente gratuito e as aulas iniciam a 15 de setembro.

Ainda assim, no que toca à etapa de seleção, são exigidos alguns critérios de preferência: residência em Portugal há, pelo menos, três anos, mulheres e jovens até aos 30 anos, conhecimento da língua árabe, experiência e gosto pela área da restauração. Nesta lista, integra ainda a necessidade de ser migrante ou ter estatuto de refugiado/asilo, ter título de residência (definitivo ou provisório), NIF e NISS, capacidade de compreender instruções básicas em português e estar disponível para turnos rotativos.

As candidaturas estão abertas aqui.

A "Mezze-Escola" tem a parceria da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa e conta com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

Texto de Isabel Marques
Fotografia disponível via Unsplash