Miguel Bonneville estreia a 14 de maio no São Luiz Teatro Municipal, em Lisboa, o seu novo espetáculo integrado na série “A Importância de Ser”, na qual mergulha no universo de artistas que têm vindo a marcar o seu percurso. Desta vez o foco estará em Georges Bataille, num espetáculo que é possível ver até ao dia 19 de maio. 

Depois de ter levado para o palco a influência que António de Macedo, Simone de Beauvoir, Agustina Bessa-Luís e Paul B. Preciado tiveram na sua vida, Bonneville debruça-se sobre Georges Bataille, um dos grandes autores franceses do século XX que, apesar de frequentemente ser associado à área da filosofia, disse uma vez que não era "um filósofo, mas um santo ou talvez um louco”. Pegando na vida e na obra do escritor, Bonneville “faz do luto da “figura humana” um interminável e incurável processo que Bataille quis ou acreditou resolver”, como se explica no comunicado de imprensa. 

Bataille deixou a sua marca em diversas áreas como a literatura, a filosofia, a antropologia, a economia, a sociologia e a história da arte. Escreveu ensaios, romances e poemas, com narrativas que exploram assuntos ligados ao erotismo, ao misticismo, ao surrealismo e à transgressão. Tal como recusava a ideia de ser um filósofo, Georges Bataille rejeitava a literatura tradicional e, citando o comunicado de imprensa, “acreditava que o objetivo último de toda a actividade intelectual, artística, ou religiosa deveria ser a aniquilação do indivíduo racional num acto transcendental de comunhão."

Em palco estarão Bonneville, Afonso Santos, Catarina Feijão, Francisco Rolo e Vanda Cereja, com uma banda sonora pensada por Luís Kasprzykowski e sonoplastia de BlackBambi, desenho de luz de Nuno Patinho e de som de Miguel Mendes, com cenografia de Nuno Tomaz. Os figurinos são de Mariana Sá Nogueira e os cabelos e maquilhagem ficam a cargo de Jorge Bragada. O espetáculo é produzido pelo Teatro do Silêncio e tem uma co-produção do São Luiz Teatro Municipal, do Teatro Municipal do Porto Rivoli, e conta com o apoio de Citemor, Residências da Boavista e do Polo Cultural das Gaivotas. 

Os bilhetes custam 12€ e podem ser adquiridos através da bilheteira do São Luiz. 

Texto de Carolina Franco
Pormenor de fotografia de ©Joana Linda

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.