Quatro anos depois da sua fundação, o núcleo criativo de moda, cultura e arte inaugura o seu estúdio físico entre os dias 22 e 24 de abril, em Amarante. De portas abertas para o mundo, o projeto MODAR.TE abraça a revitalização do artesanato e das técnicas tradicionais com dois focos principais: a comunicação e expressão artística através da moda e do têxtil.

Há cerca de quatro anos atrás Catarina Noronha apresentava o seu projeto. Foi através de uma “conversa de café, com o Carlos”, na qual surgiu a ideia de criar e organizar um evento onde fosse possível transcender o calculável da moda. O objetivo principal era “retratar a moda como arte”.

Hoje, Catarina volta a conversar connosco sobre o MODAR.TE onde várias questões se foram evoluindo, no entanto, o foco e o conceito continua a ser o mesmo: dedicar-se à Arte, Moda e Cultura numa cidade fortemente artística e cultural, Amarante.

Depois de se deparar com uma bagagem mais rica e diversificada, em parte proveniente da sua experiência com o Serviço de Voluntariado Europeu na República Checa, através da Casa da Juventude de Amarante, onde Cataria esteve a trabalhar num museu, a jovem admite que esta experiência permitiu-lhe construir uma "perspetiva diferente", tendo sido um dos embalos para trazer o projeto de volta.

O projeto pretende manter os desfiles anuais, nomeadamente, as Artes amarantinas, que na sua primeira edição se realizou na Casa da Granja, em Amarante, frequentada em tempos por Amadeo de Souza Cardoso. A coleção apresentada no evento foi inspirada no "talento amarantino" dedicado a diversos nomes da pintura, arquitetura, escultura, fotografia e literatura.

Catarina Noronha, fundadora do projeto MODAR.TE

O MODAR.TE disponibiliza ainda workshops, nomeadamente, o "Raízes", dedicado à revitalização de técnicas artesanais desde a bijuteria aos bordados que, de alguma forma, estão relacionados com moda e ao qual pretendem dar um "toque mais contemporâneo" às peças. O workshop está previsto para se iniciar em março.

Agora, com uma equipa composta pela Mafalda Ribeiro, artista dedicada à arquitetura e à pintura, e Paulo Flores, designer gráfico, o foco é também as oficinas de moda que já se iniciaram, a Oficina de Moda Criativa e a Oficina de Arte Experimental, com inscrições abertas até ao final do mês de janeiro.

Catarina partilha ainda que o Cinema é uma das artes que pretendem abraçar futuramente.

O estúdio que assinala também um ponto de viragem do núcleo criativo fica localizado no Edifício Navarras, em Amarante. A entrada é gratuita assim como as atividades que serão realizadas nos dias de inauguração.
Catarina, uma entusiasta por natureza, partilha que a programação será "incrível" e chegará até todos, em breve.

Texto por Patrícia Silva
Fotografias da cortesia do MODAR.TE
Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.